Representante da Organização Mundial da Saúde no país disse à Reuters que mais de 3 mil pessoas foram colocadas em quarentena por entrar em contato com o suspeito. Com máscaras, norte-coreanos visitam museu em Pyongyang nesta segunda-feira (27) para comemorar o 67º aniversário do fim da Guerra da Coreia, celebrado no país como o Dia da Vitória na Guerra de Libertação da Pátria
Jon Chol Jin/AP
Os resultados do teste realizado pela Coreia do Norte com um homem suspeito de ser o primeiro caso de coronavírus no país foram inconclusivos, disse uma autoridade regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) à agência de notícias Reuters.
Ele disse também que as autoridades locais colocaram mais de 3.635 pessoas em quarentena. Todos eles tiveram algum tipo de contato primário ou secundário com o suspeito. No final de julho, a Coreia do Norte anunciou estado de emergência e lockdown na cidade fronteiriça de Kaesong.
O governo de Kim Jong-un anunciou as restrições após dizer que uma pessoa, que havia desertado para a Coreia do Sul há três anos, atravessou a fronteira fortificada e retornou ao país com o que foi descrito pela mídia estatal como sintomas de Covid-19.
Na ocasião, a imprensa estatal não esclareceu se o homem foi testado para a doença, afirmando que “resultados incertos foram obtidos após diversas avaliações médicas”. Mas o líder norte-coreano declarou que “pode-se dizer que o vírus entrou no país”.
Se confirmado, o caso seria o primeiro oficialmente reconhecido por autoridades norte-coreanas, embora a mídia estatal reafirme que nenhuma infecção foi relatada no país até o momento.
“A pessoa foi testada para Covid-19, mas os resultados foram inconclusivos”, disse o médico Edwin Salvador, representante da OMS na Coreia do Norte, em comentários enviados à Reuters por email.
Coreia do Norte impõe confinamento em cidade perto da fronteira com a Coreia do Sul
Initial plugin text