Prefeito de Salvador destacou a importância de manter o transporte em operação na cidade e o esforço da gestão municipal para arcar com alguns custos. ACM Neto disse que não há prazo para fim da internveção
Divulgação / Prefeitura de Salvador
O prefeito de Salvador, ACM Neto, declarou, nesta quarta-feira (1º), que não há prazo para o fim da intervenção da prefeitura da Concessionária Salvador Norte (CSN), responsável por ônibus de 127 linhas do transporte público. No dia 20 de junho, a gestão da capital baiana decretou a medida após ser informada pelo Sindicato dos Rodoviários de que a empresa descumpria acordo coletivo assinado com a categoria, além de atrasar o adiantamento salarial e o tíquete alimentação.
A declaração foi dada durante inauguração de “gripário” no bairro de Paripe.
“Estamos fazendo esforço enorme para empresa não parar. É pagamento de rodoviário, equipamento para ônibus funcionarem. A prefeitura tá tendo que comprar peça para colocar em ônibus para ter transporte na cidade. Até isso nós temos que fazer. Temos que comprar óleo diesel, pagar rodoviário. Se parar transporte, é a mesma coisa que decretar lockdown. A situação da CSN é bem grave, bem séria. Estamos com cuidado para que empresa não pare, melhorar situação da frota, empresa e assegurar que ela possa melhorar a sua situação. Não há prazo para fim da intervenção”, disse o prefeito.
Em junho, a CSN disse que entrou com ação contra a prefeitura de Salvador e que foi ela quem solicitou a intervenção, através do processo judicial. Segundo a empresa, a administração municipal não vem cumprindo com as obrigações referentes ao reequilíbrio econômico e financeiro do contrato. Por isso, entrou com processo pedindo a intervenção.
Confira mais informações do estado no G1 Bahia.