O grupo é o mais recente de uma série de organizações do partido governista a se opor à reeleição de Trump, mais um sinal de que ele alienou parte de seus próprios correligionários, ultimamente por causa de sua reação à pandemia de coronavírus e dos protestos nacionais contra a injustiça racial e a brutalidade policial contra os negros norte-americanos. George W. Bush durante palestra em Nova York, em setembro de 2019
Shannon Stapleton/File Photo/Via Reuters
Centenas de autoridades que trabalharam para o ex-presidente republicano norte-americano George W. Bush devem declarar seu apoio ao candidato presidencial democrata Joe Biden, disseram pessoas envolvidas na iniciativa –mais um grupo de liderança republicana a se opor à reeleição de Donald Trump.
Os funcionários, que incluem secretários de gabinete e outros membros do alto escalão do governo Bush, formaram um comitê de ação política, o 43 Alumni for Biden, para apoiar o ex-vice-presidente na disputa do dia 3 de novembro, disseram três organizadores do grupo à Reuters. Bush foi o 43º presidente do país.
Biden tem 14 pontos de vantagem em pesquisa de opinião
O Super PAC lançará nesta quarta-feira um site e uma página de Facebook, planeja publicar “depoimentos em vídeo” de republicanos destacados elogiando Biden e realizará esforços para incentivar o voto nos Estados mais competitivos, disseram.
O grupo é o mais recente de uma série de organizações do partido governista a se opor à reeleição de Trump, mais um sinal de que ele alienou parte de seus próprios correligionários, ultimamente por causa de sua reação à pandemia de coronavírus e dos protestos nacionais contra a injustiça racial e a brutalidade policial contra os negros norte-americanos.
“Sabemos o que é normal e o que é anormal, o que estamos vendo é altamente anormal. O presidente é um perigo”, disse Jennifer Millikin, uma dos organizadores do 43 Alumni que trabalhou na campanha de reeleição de Bush em 2004 e mais tarde na Administração de Serviços Gerais.
Os outros dois membros que conversaram com a Reuters são Karen Kirksey e Kristopher Purcell. Purcell atuou como autoridade de comunicação na Casa Branca de Bush, e Kirksey participou da campanha de Bush em 2000 e mais tarde trabalhou nos departamentos da Agricultura e do Trabalho.
Millikin disse que o grupo ainda não está pronto para identificar todos seus membros e doadores, mas terá que fornecer uma lista de doadores iniciais à Comissão Eleitoral Federal até outubro.
O escritório de Bush foi informado sobre o grupo, mas o ex-presidente não está envolvido e não indicou se aprova suas metas, disse ela.
Freddy Ford, porta-voz de Bush, disse que ele se aposentou e “não se meterá nesta eleição”.
Bush, que ainda é admirado por republicanos moderados, foi elogiado por dizer que a morte de George Floyd, um homem negro desarmado, sob custódia da polícia de Mineápolis no dia 25 de maio refletiu um “fracasso chocante” e pediu que se dê ouvidos aos manifestantes.
Apesar das diferenças políticas, “centenas” de ex-funcionários de Bush acreditam que Biden tem integridade para enfrentar os desafios da América, disseram membros do 43 Alumni.