Descoberta pode ajudar os profissionais da saúde a preverem qual é o tratamento ideal para cada tipo de paciente. Imagem do novo coronavírus
G1
Pesquisadores dos Estados Unidos descobriram que o sistema imunológico pode responder a uma infecção pelo Sars-Cov-2 de três formas distintas. O estudo publicado nesta quarta-feira (15) pela “Science” pode ajudar os profissionais da saúde a preverem qual é o tratamento ideal para cada tipo de paciente.
Na busca de imunidade, anticorpos deixam de ser único foco e ciência mira nas células T
‘Não há evidência de imunidade de rebanho no Brasil’, afirma OPAS
O coronavírus desencadeia diferentes tipos de resposta e sintomas em casos mais graves da doença. Um dos autores do artigo, o pesquisador da Universidade da Pensilvânia, John Wherry, explicou que há “muita heterogeneidade” entre os infectados e ao menos três “imunótipos” identificados.
“Estamos esperançosos de que com isso, possamos realmente prever, ou pelo menos inferir, os diferentes padrões imunológicos que um paciente tem com base em dados clínicos”, disse Wherry em um comunicado.
Perfis diferentes de proteção
Os três tipos de resposta foram identificadas por sua forma de ação com as células T e linfócitos do sangue.
Divulgação
O estudo acompanhou 90 pacientes graves do Hospital da Universidade da Pensilvânia, 29 pacientes não hospitalizados e 44 voluntários saudáveis – ​​sem infecção por Covid-19. As respostas imunes variaram entre os grupos, mas alguns padrões sustentaram a hipótese da equipe.
Os três tipos de resposta foram identificadas por sua forma de ação com as células T e linfócitos do sangue.
1º imunótipo: apresenta forte atividade das células T (CD4 +), e tem uma leve ativação nas células T (CD8 +) e linfócitos do sangue.
As células T CD4 + e CD8 + são as principais células do sistema imune responsáveis para “limpar” o vírus do organismo. Esse imunótipo está mais presente em pacientes que desenvolveram quadros mais graves da doença com falência dos órgãos e complicações renais.
2º imonótipo: caracterizado principalmente por uma leve ativação das células T (CD8 +) e a presença do subconjunto EM e EMRA.
Além disso, foi observada que as células B de memória e linfócitos também foram acionados por este mecanismo. Esse tipo foi mais presente em pacientes que já tinham imunossupressão e maior mortalidade.
3º imunótipo: mostrou pouca ou nenhuma evidência de resposta imune à infecção.
Pacientes do terceiro tipo não tiveram sintomas ou complicações clínicas associadas.
Initial plugin text