Em entrevista ao G1 nesta quarta-feira (15), Simone Araújo falou sobre abusos psicológicos que sofria, pedido de medida protetiva e mudança de país. Ex-esposa de vereador que espancou filha na Bahia fala sobre agressões durante casamento
Reprodução/Redes sociais
A ex-esposa do vereador José Alberto Carvalho, presidente da Câmara de Campo Formoso, cidade do norte da Bahia, falou sobre as agressões sofridas durante o casamento, depois que uma das filhas do casal denunciou o pai após ser espancada. Ele já foi preso em flagrante pela suspeita de matar um homem que cobrava promessa de campanha.
Serviços de apoio jurídico e psicológicos gratuitos auxiliam mulheres vítimas de violência na BA; lista
Em entrevista ao G1 nesta quarta-feira (15), Simone Araújo falou que se mudou para os Estados Unidos para romper o ciclo das agressões, que começaram com o abuso psicológico. Ela detalha a personalidade de José Carvalho e descreve o ex-marido como manipulador.
“Eu quero ser bem honesta mesmo, bem sincera. Eu fui casada com ele durante 18 anos. Quando a gente fala em agressões, eu acho que às vezes as pessoas imaginam que eu apanhava todos os dias. Não era assim. Ele me agredia sim, ele me agrediu várias vezes, agressões físicas”, conta Simone.
“As piores agressões que eu sofria eram as agressões psicológicas, um ciclo vicioso. O que acontecia é que ele era um homem manipulador”
Simone conta que após as agressões tentava se separar do vereador, mas acabava voltando para casa por acreditar que o então companheiro ia mudar de comportamento. Ela diz que essas situações, que eram recorrentes, podem ter gerado trauma na filha Rafaella, que também foi agredida por José.
“Eu, por várias vezes, tentei me separar dele, sair da casa dele, cheguei a ir para a casa da minha mãe. E ele voltava, dizendo que me amava e eu voltava novamente para casa acreditando, porque eu também o amava. E isso foi gerando na minha filha uma certa revolta. Ele também me traía muito”, conta ela.
Vereador que agrediu filha na Bahia já foi preso em flagrante pela suspeita de matar um homem
Reprodução/TV Bahia
Para tentar colocar um fim na situação por causa das repetidas agressões, físicas e psicológicas, Simone chegou a pedir uma medida protetiva contra o vereador.
“Eu tenho uma medida sim. Depois que eu me separei dele, eu tenho uma medida protetiva, ele não podia chegar perto de mim, mas ele sempre conseguia reverter toda a situação. Se fazer de bonzinho, se aproximar novamente, e eu perdoava. Eu sou bem honesta em dizer que eu perdoava”, avaliou ela.
Já separada e sem conseguir se afastar do ex-marido, ela tomou a decisão de mudar de país para poder reconstruir a vida.
“A única forma de ficar livre dele, de me livrar dele era vindo embora, saindo do Brasil. Era a única forma que eu tinha de não ser mais manipulada, porque eu não conseguia sair. Mesmo separada, mesmo morando em outra casa, ele sempre dava um jeito de estar próximo a mim”.
“Até hoje, eu passo pela minha psicóloga do Brasil. Eu faço terapia online, porque até hoje eu não consigo me recuperar de tudo o que eu vivi”
No dia 27 de junho deste ano, Simone chegou a fazer uma publicação nas redes sociais falando sobre o relacionamento abusivo que vivia. Mas a situação das agressões veio à tona mesmo depois que a filha do casal publicou um vídeo na internet, mostrando marcas pelo corpo, sofridas após ser espancada pelo vereador, no dia 12 de julho.
Filha de presidente de Câmara na BA denuncia em redes sociais agressão sofrida pelo pai
Rafaella foi espancada depois de uma discussão com o pai sobre a faculdade dela. No momento do crime, eles estavam em um sítio junto com familiares. Nos vídeos, ela relatou que durante a discussão, José Carvalho colocou ela em um quarto e deu socos no rosto dela. Veja relato acima.
“Ele me colocou no quarto, eu pedi calma para ele. Disse a ele que só estava chorando porque ele tinha me magoado. E ele então disse: ‘Eu te magoei? Eu vou te magoar é agora’. Ele então começou a me bater, me agredir. Ele começou a me agredir muito. Ele dizia que era um bom pai, que não deixou me faltar nada material. Ele me deu vários murros. Meu olho está roxo, eu estou toda roxa. Ele usou a sandália também, mas foi mais com a mão”, disse Rafaella.
Ao G1, Rafaella também falou sobre às agressões que a mãe sofria. Ela disse ainda que o pai dela é uma pessoa perigosa e tem histórico de violências.
“Ele sempre agrediu minha mãe. Em 19 anos de casados, ele sempre batendo em minha mãe. Quando eu tinha 14 anos eles se separaram. Graças à Deus, minha mãe se livrou. Se livrou entre aspas, porque ele continuava ameaçando ela. Minha mãe foi morar fora do Brasil com medida protetiva. Meu pai é perigoso. Ele é muito perigoso. Ele já matou uma pessoa na cidade. Ele só não está preso porque a Justiça é falha. Eu sei que é”, afirmou Rafaella.
Em 2016, o G1 noticiou a prisão de José Alberto Carvalho. Ele foi detido em flagrante, na entrada da cidade de Senhor do Bonfim, suspeito de matar um homem após uma discussão em um bar de Campo Formoso. A vítima estava cobrando uma promessa de campanha. O vereador foi solto um mês depois.
Medida protetiva
Filha de presidente de Câmara na BA denuncia nas redes sociais agressões físicas feitas pelo pai: ‘Meu olho está roxo’
Reprodução / Redes Sociais
O inquérito do caso após a denúncia de Rafaella foi concluído e encaminhado ao Ministério Público da Bahia pela delegacia de Senhor do Bonfim, onde o registro foi feito. A promotoria emitiu parecer favorável às aplicações de medidas protetivas de urgência para Rafaella.
Na decisão, o promotor Rildo Mendes de Carvalho destacou que “a vítima possui o direito pleno de abster-se do contato com o acusado, que, de acordo com os autos, vem praticando condutas consideravelmente abusivas”.
Com a decisão, José Alberto Carvalho é obrigado a manter afastamento do lar, domicílio da filha, ou local de convivência com ela, além de se aproximar e entrar em contato com a vítima.
Quando Rafaella fez a denúncia, o G1 procurou o vereador que disse que “apesar de ser uma pessoa pública, não tenho nada a declarar sobre minha vida particular”. Nesta quarta-feira, o G1 procurou José Carvalho novamente, em dois contatos diferentes, mas não conseguiu falar.
A assessoria da Câmara de Vereadores de Campo Formoso disse que, como o vereador não estava em exercício de suas funções quando cometeu as agressões, não vai se posicionar sobre o assunto.
Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.