Empresa excluiu trecho de uma entrevista do presidente dos EUA à Fox News, em que ele diz que crianças são “quase imunes” ao coronavírus. O Facebook disse na quarta-feira (5) que removeu uma publicação do presidente dos EUA, Donald Trump, de um trecho de uma entrevista à Fox News, em que ele diz que as crianças são “quase imunes” ao coronavírus.
“Este vídeo inclui falsas alegações de que um grupo de pessoas é imune à Covid-19, o que é uma violação da política sobre desinformação em relação à Covid”, disse o porta-voz do Facebook, Andy Stone, segundo o jornal norte-americano The Washington Post.
Um porta-voz do Facebook disse que foi a primeira vez que a empresa removeu um post de Trump por desinformação sobre o coronavírus, disse a Reuters.
Facebook retira publicação de Trump pela primeira vez
No vídeo removido, Trump afirma: “Se você olhar para crianças, as crianças são quase – e eu diria definitivamente -, quase imunes a esta doença”.
Segundo a Reuters, a Casa Branca foi procurada para comentar o assunto, mas ainda não se pronunciou.
Pressão e boicote
O Facebook – que também é dono do Instagram – vem sofrendo pressões de entidades civis e empresas para moderar melhor os seus conteúdos. No final de junho, mais de 100 empresas anunciaram uma pausa temporária nos anúncios pagos, para pressionar a rede social a tomar medidas mais rígidas contra postagens que contenham discursos de ódio.
Veja empresas que pausaram anúncios em redes sociais
Por que grandes empresas decidiram boicotar o Facebook
Dias depois, o Facebook divulgou uma auditoria independente de direitos civis sobre a empresa, que concluiu que a rede social ainda precisa melhorar na maneira como lida com posts que contêm discursos de ódio. E critica, especificamente, o fato de o Facebook não ter derrubado, até aquele momento, posts polêmicos do presidente de Trump.
Centenas de anunciantes aderem a boicote ao Facebook e outras redes de Zuckerberg