Desde o início da pandemia, Hong Kong registrou oficialmente pouco mais de 1.400 infectados por coronavírus, com oito óbitos. Pessoas usam máscara em Hong Kong, seguindo recomendação chinesa sobre o novo coronavírus (Covid-19)
Tyrone Siu/Reuters
A chefe do Executivo de Hong Kong, Carrie Lam, anunciou nesta segunda-feira (13) novas medidas para combater o ressurgimento de casos do novo coronavírus, o que inclui reuniões de até quatro pessoas e o uso de máscara nos transportes públicos.
O recente surto de Covid-19 preocupa as autoridades deste território densamente povoado, com 7,5 milhões de habitantes, onde as contaminações locais já haviam sido controladas.
Na semana passada, porém, voltaram a aparecer focos da doença, em particular em um lar para idosos. Foram registrados pelo menos 32 casos.
Hong Kong diz que missão será enviada à China para descobrir como começou a Covid-19
Entre outras medidas, os restaurantes poderão vender comida apenas para entrega, a partir das 18h e até as 5h. Academia, salas de karaokê, salões de beleza e boates serão fechados.
Desde o início da pandemia, Hong Kong registrou oficialmente pouco mais de 1.400 infectados por coronavírus, com oito óbitos.