G1 conversou com professores e estudantes da modalidade, que contaram como tem sido a rotina durante a ausência de contato social e as aulas online. Aula online de música é opção para o aprendizado no período da pandemia
Cedida
Professores e alunos separados por uma pandemia e unidos por uma tela. É assim que tem sido a rotina dos músicos neste período de isolamento social. A arte de ensinar a música precisou de uma readaptação para que não houvesse o contato presencial. A imaginação e a criatividade passaram a ser instrumentos essenciais nas aulas, que agora são feitas virtualmente.
Para alguns, a atividade remota dificultou, mas, para outros, tornou mais fácil o processo de aprendizagem. Ainda assim, no geral, estar longe na hora de aprender e ensinar tem sido um desafio constante e diário para os professores e alunos. E como aprender música por videochamada?
O G1 conversou com professores e alunos de Presidente Prudente (SP), que relataram como tem sido a experiência e o que vai ficar de aprendizado quando tudo isso acabar.
Criatividade
Formada em canto popular, Adriana Chedid Cavalcanti é professora e tem precisado se reinventar nas aulas online. Apesar de já estar habituada com o sistema remoto, pois sempre ensinou à distância, neste período a criatividade precisou ser ainda mais aflorada.
“Apesar de já estar habituada com as aulas virtuais, eu sempre preferi as aulas presenciais. Sinto que o rendimento do aluno é outro. Sempre preferi que o aluno estivesse perto, mas, com ele longe, nós vamos trabalhar do mesmo jeito. O professor tem precisado ser muito criativo nesta época de pandemia”, disse ela ao G1.
Aula online de música é opção para o aprendizado no período da pandemia
Cedida
O instrumento principal nas aulas de Adriana é a voz, que ela acredita ser um dos cursos mais procurados, principalmente, no período de isolamento social, até mesmo como forma de terapia.
“Cantar relaxa muito, é possível até esquecer do vírus e do que tem acontecido no mundo”, acrescentou a professora.
O aprendizado é possível de forma remota, mas Adriana considera ser muito mais difícil, pela falta do contato presencial com o aluno.
“O maior desafio na aula de canto pela internet é o atraso. Mesmo que seja uma internet de qualidade, o aluno nunca vai conseguir cantar ao mesmo tempo que eu. Minha voz vai chegar para ele com um atraso. Para ajudar, faço com meus alunos exercícios de dicção, frases, palavras e trava-línguas”, detalhou a professora ao G1.
Mesmo com opções para driblar as dificuldades na hora de ensinar, Adriana acredita muito na importância do contato entre professor e aluno.
Aula online de música é opção para o aprendizado no período da pandemia
Cedida
“Falando especificamente do canto, é uma emoção que a gente transmite quando canta, é algo além. É um sentimento. A aula online atrapalha nessa dinâmica. A gente começa cantando suave, depois coloca intensidade, que pela internet muitas vezes acaba se perdendo”, lamentou.
Mas a aula online também tem pontos positivos, um deles é a pontualidade nos horários.
“Com as aulas online, não temos mais atrasos. Pelo contrário, cinco minutos antes do horário marcado, meus alunos já estão me mandando mensagem perguntando se podemos conversar. Além disso, ficou tudo mais organizado, muitas vezes parece até que existe mais concentração do que nas aulas presenciais. As aulas online trabalham muito o ouvido da pessoa, que para o cantor é excelente”, contou Adriana.
Ao mesmo tempo em que a pandemia fez com que alunos desistissem do curso, também permitiu que novos alunos se matriculassem, segundo a professora.
“Isso significa que, se a música for bem trabalhada, se o professor for criativo, os alunos vão permanecer. Eu percebi que as pessoas têm ficado tão em casa, estão estressadas, cansadas, que encontraram a saída na música. Mesmo com a pandemia, estou muito agradecida. E, mesmo com tudo voltando ao normal, vou colocar como opção as aulas online. A adaptação ao virtual tem de existir”, acrescentou ao G1.
Desafiador
“Foi desafiador no começo, pois o ateliê era essencialmente presencial. Precisamos mudar a mentalidade para adaptar a realidade, e deu tudo certo. E esse formato já nos trouxe bons frutos”, falou ao G1 a professora de música Tata Miele.
A profissional oferece aulas de musicalização de bebês e crianças, piano, violão, violino, ukulelê, técnica vocal, viola caipira, contrabaixo e teclado. Ela garante que é possível aprender a tocar um instrumento musical de forma remota, inclusive, os cursos de piano e canto têm sido os campeões de procura.
“Totalmente possível e uma ótima indicação, inclusive, para os idosos, que sempre tiveram vontade e hoje têm na tela do celular e computador um conteúdo excelente e acessível sem sair de casa. A música tem muitos benefícios cientificamente comprovados para a saúde emocional, cognitiva em todas as faixa etárias, e agora se faz mais ainda necessária para manter a mente sadia”, explicou ao G1.
Os alunos que foram migrados para o ambiente online devido à pandemia, conforme Tata, sempre dizem sentir saudades do contato pessoal, mas que estão satisfeitos em poder contribuir para a proteção da família e da sociedade ficando em casa.
“Já os novos alunos, que iniciaram as aulas durante a pandemia, relatam que estão satisfeitos e manterão este formato, mesmo após o período de afastamento social”, acrescentou.
Diante da satisfação dos alunos, a professora afirma que a tendência online vai permanecer no período pós-pandemia.
Aula online de música é opção para o aprendizado no período da pandemia
Cedida
“Continuaremos com as aulas online. Inclusive, meu ateliê só sobreviveu à crise porque aderimos a este formato online e descobrimos um novo universo de possibilidade de negócios”, falou Tata.
A sensibilidade musical sente falta do contato entre professor e aluno, conforme a profissional.
“Como músicos, somos sensíveis e prezamos pela troca de energia, principalmente nas aulas infantis, onde a criança precisa de um acompanhamento mais de perto para correção de postura e também do incentivo e palavras de afirmação”, explicou ao G1
Para a professora, as aulas online trouxeram vantagens e tiraram virtudes do contato pessoal.
“As boas vindas calorosas com um abraço, um cafezinho, o famoso pote de biscoitos da tia Tata, e também o fato de o aluno sair do ambiente diário e vir até a escola e se distrair da rotina muitas vezes estressante. Quando o aluno sente-se à vontade num ambiente onde é bem recebido, tem mais prazer e engajamento em estudar e evoluir. Mas as vantagens são muitas. Redução dos custos com deslocamento, otimização do tempo, flexibilidade de horário e também a possibilidade de mesmo ao estar viajando poder fazer aula sem ter que adiar, perdendo assim o ritmo de estudos, entre outras coisas”, pontuou.
Atendimento à distância
Aula online de música é opção para o aprendizado no período da pandemia
Cedida
A escola de música do professor Luiz Antonio Peres Filho, mais conhecido como Maestro Luizão, já possuía um material para o atendimento à distância mesmo antes da pandemia, usado, até então, como complemento das aulas presenciais. Com o isolamento social, o material passou a ser usado de forma mais ativa e constante pelos alunos.
“É possível aprender de forma remota, sim. Acredito que neste período as qualidades dos alunos são potencializadas e aqueles que realmente se dedicam superam as expectativas dos professores”, contou o maestro ao G1.
Nas aulas, a escola usa o material que já era confeccionado para o apoio nas aulas presenciais e até fornece os instrumentos para aqueles alunos que não possuem os próprios.
“As aulas chegam nos alunos de diversas formas, como gravações de áudios, vídeos e ‘ao vivo’, por aplicativos. Nosso objetivo é fazer com que o aluno aprenda a técnica do instrumento que escolheu, mesmo em condições diferentes daquelas vividas no início do curso”, acrescentou.
O professor acredita que as aulas online podem ser uma opção depois do fim da pandemia.
Aula online de música é opção para o aprendizado no período da pandemia
Cedida
“Nossa escola ganhou alunos neste período, principalmente para os cursos de dança, que também oferecemos. Temos alunos de Presidente Venceslau [SP], Londrina [PR] e até de Fortaleza [CE] fazendo a mesma aula de balé que os alunos de Presidente Prudente fazem”, contou ao G1.
Apesar de possível o aprendizado nas aulas remotas, Luizão acredita que o contato entre o professor e o aluno é indispensável.
“Acho possível a aprendizagem da maneira como estamos trabalhando, durante estes últimos quatro meses, mas, para nós, professores e alunos de qualquer ramo da arte, o contato é algo fundamental, pois trabalhamos com o ‘humano’ e suas mais diversas formas de se emocionar”, falou.
Entre vantagens e desvantagens, o profissional afirma que as aulas online trouxeram ambas.
“Uma das vantagens das aulas não presenciais é o seu grande alcance. Pessoas das mais diversas classes sociais, dos mais diferentes lugares do planeta, dos mais distintos gostos e das mais diversas opiniões podem participar de uma mesmo videoaula, e isto é algo incrível. Já a desvantagem, no meu modo de ver, é a impossibilidade de estarmos juntos em aulas coletivas, já que nossas aulas de dança são compostas por turmas de alunos e que os estudantes de música de nossa escola sempre se juntam em aulas de grupo, chamadas de prática de orquestra, que infelizmente tiveram de ser reformuladas durante este período”, finalizou Luizão ao G1.
Experiência
Aula online de música é opção para o aprendizado no período da pandemia
Cedida
A Escola Municipal de Artes “Professora Jupyra Cunha Marcondes” também tem se adaptado à experiência do mundo virtual provocada pela pandemia do novo coronavírus.
A coordenadora pedagógica, Rejane Felippe Martinez, contou ao G1 que a escola de artes está, no momento, com todos os cursos funcionando de forma remota.
“As aulas de todos os instrumentos oferecidos pela escola e também as aulas de matérias complementares, como teoria, coral, história da música e todas as outras de nossa matriz curricular, estão sendo ministradas de forma não presencial. Muitos professores já tinham experiência com educação à distância e, por isso, tiveram mais facilidade de adaptação que os próprios alunos. Para estes, sim, a forma de aprender um instrumento foi desafiadora”, disse a coordenadora.
Rejane tem visto na prática que o aprendizado de forma remota é possível.
Aula online de música é opção para o aprendizado no período da pandemia
Cedida
“Nossas aulas são preparadas pelos professores, com conteúdo previsto no plano de aula relativo a cada instrumento e cada matéria complementar. Estas atividades são vistadas pela coordenação pedagógica e chegam até cada um dos nossos 400 alunos. Os resultados são muito bons e, em sua maioria, correspondem às expectativas dos professoras”, explicou ao G1.
Embora as aulas online estejam funcionando com sucesso na escola, Rejane falou ao G1 que a instituição não trabalha com edução à distância, mas que pode ser uma opção para o futuro.
“Trabalhar com música, ou qualquer outra forma de arte, é trabalhar com emoção e sentimento, que são palavras que remetem ao contato entre as pessoas. Confesso que estamos sentindo falta deste ‘calor humano’, deste ‘pulsar’ da escola, quando professores e alunos estão juntos ‘fazendo música'”, disse.
Do lado de lá
Aula online de música é opção para o aprendizado no período da pandemia
Cedida
Do lado de lá, os alunos. A experiência das aulas online tem sido vivida por muitos estudantes da música, que encontraram desafios na jornada, mas que também conseguiram superar cada um deles.
Giovana Aparecida Viudes, de 30 anos, e Maria Clara Viudes Pretti, de 13 anos, são mãe e filha, que estão passando pelo período de isolamento social juntas. Isso também tem acontecido nas aulas online.
“No começo foi bem desafiador, uma experiência nova estava acontecendo. Aos poucos fomos aprendendo a nos disciplinar com as novas rotinas e ter resultado. Mas o diferencial, que é importante, é que a escola dá todo o suporte e assistência necessária para que possamos dar o nosso melhor, sempre respeitando o tempo de cada aluno, mas fazendo as cobranças necessárias”, falou Giovana ao G1.
Maria Clara contou ao G1 que com as aulas remotas percebeu que estava estudando mais o violino agora do que antes.
“É bem diferente do que eu estava acostumada. Achei interessante a ideia das aulas online, pois consigo fazer bastante coisa produtiva estando em casa. O maestro dá todo apoio quando envio o vídeo de uma lição para ser avaliada”, disse.
Giovana acredita que as aulas online vieram para nunca mais deixarem de estar presentes.
Aula online de música é opção para o aprendizado no período da pandemia
Cedida
“Mesmo depois de retornarmos à nossa rotina normal, elas existirão como um complemento para potencializar o nosso desenvolvimento. Elas nos forçam a ter uma disciplina e rotina de estudo, fazem com que fiquemos mais críticos em relação ao nosso resultado, pois, para gravar um vídeo e enviar ao professor, é preciso assistir mil vezes, gravar mil vezes para mandar o melhor resultado. Isso acaba se tornando uma forma de aprendizado, que é a observação e autocrítica”, argumentou Giovana.
A filha também se adaptou ao mundo virtual e, segundo Maria Clara, conseguiu se dedicar ainda mais aos estudos com as aulas online.
As duas ainda afirmaram ao G1 que sentem muita falta de estarem na escola, nas aulas presenciais e com os colegas, pois a rotina delas mudou de uma hora para outra. No entanto, o conforto é que as duas pensam positivo e aguardam ansiosamente que tudo volte ao normal.
Quem também sente falta do contato com o professor é o aluno de saxofone Celso Cordeiro, de 52 anos, mas ele contou ao G1 que a aula online é uma válida forma de aprendizado neste momento de pandemia.
“É possível aprender música de forma remota, eu consegui evoluir nos estudos. Os professores pedem que a gente execute as lições, grave e mande em um prazo específico. Quando tenho dúvidas, posso perguntar por aplicativo. É um pouco mais difícil aprender do que de forma presencial, mas é possível”, salientou Cordeiro.
Aula online de música é opção para o aprendizado no período da pandemia
Cedida
Vinícius Raphael de Menezes Almeida, de 25 anos, aluno de técnica vocal, disse ao G1 que a experiência tem sido um desafio, pelo fato de ser algo novo em sua vida.
“Nós nos acostumamos a ter a presença do professor toda semana, auxiliando, mostrando o que a gente está acertando, o que estamos errando, dando exemplos, e, por via remota, isso funciona de forma diferente. A diferença do presencial é que o ensino remoto exige mais do aluno, no sentido de ser mais autocrítico e organizado, mas, para quem tem o costume de estudar e fazer os exercícios diariamente, é como se fosse parecido”, contou Almeida.
A maior dificuldade no “novo normal” das aulas para o aluno é o atraso da resposta do professor por conta da internet, o que não existe presencialmente.
“De certa forma, as aulas online acabam exigindo mais organização, responsabilidade e consciência autocrítica, e, se não temos isso, desenvolvemos na ‘marra’. Estar em casa é um ponto facilitador também. Ao mesmo tempo, sinto muita falta do contato com o professor para o aprendizado e até mesmo por conta do ambiente de aula, que é incrível”, concluiu Almeida ao G1.
Initial plugin text
Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.