Medicação deveria atender a 555 pacientes, entre julho e setembro. Herceptin é essencial no tratamento e deve ser tomado a cada 21 dias. Remédio de alto custo usado no tratamento contra o câncer está em falta na rede pública
Pacientes com câncer de mama tiveram tratamento da doença interrompido na Bahia, por falta de medicação nas unidades públicas de saúde. De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), o Ministério da Saúde forneceu apenas 17% das doses que deveriam atender a 555 pacientes.
A medicação é o Herceptin, que é essencial no tratamento desse tipo de câncer e deve ser tomado a cada 21 dias. Cada dose do remédio custa R$ 9.695.
Uma das pacientes que precisam dele é a idosa Rosenilda dos Santos, de 62 anos. Ela mora na cidade de Santaluz, no norte baiano, e iniciou tratamento contra o câncer de mama em 2018.
No ano passado, a idosa começou a tomar o Herceptin, para impedir o avanço da doença para o fígado. O remédio é em ampola e aplicado como injeção, apelidada por Rosenilda de “vacina”.
“Para a minha surpresa, a última vacina [ampola] era dia 10. Dia 11, eu tinha retorno na médica, para ela decidir se eu ia continuar tomando outras doses ou se ia encerrar. Foi quando no dia 10 eu recebi a notícia que a vacina estava em falta. Daí para cá, eu venho ligando e a resposta é que ainda não chegou e não se sabe quando vai ter”, disse ela.
Além da medicação para os meses de julho a setembro, que ainda não foram recebidas, a Sesab fez uma nova solicitação para 562 pacientes que têm que usar o medicamento entre outubro e dezembro. A secretaria, no entanto, ainda não teve retorno do ministério.
O jornalismo da TV Bahia entrou em contato com o Ministério da Saúde para obter informações, mas ainda não recebeu retorno sobre a falta do medicamento.
Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.
Assista ao Jornal da Manhã