Segundo artigo, 23% dos homens com até 35 anos entrevistados têm algum nível de problema de ereção, percentual relacionado ao tempo em que passam assistindo a material pornográfico. Além disso, 35% dizem que pornografia é mais estimulante do que o sexo real. Desempenho sexual está ligado à quantidade de pornografia consumida, diz estudo
Vera Atchou/AltoPress/PhotoAlto/AFP
O nível da piora na função erétil de um homem pode estar ligado à quantidade de conteúdo pornográfico consumido, mostra estudo publicado pela Associação Europeia de Urologia divulgado nesta quinta-feira (16).
De acordo com o artigo, 23% dos homens entrevistados com menos de 35 anos tinham algum nível de disfunção erétil ao fazer sexo com outra pessoa.
Para o professor responsável pela pesquisa, Gunter de Win, esse percentual é maior do que o esperado. “Descobrimos que há uma relação significativa entre o tempo de conteúdo pornográfico assistido e o aumento da disfunção erétil com parceiros”, comentou.
Quarentena impulsiona busca por relações extraconjugais
“Pessoas que assistem a mais pornô também tiveram maiores níveis na escala de vício a conteúdo pornográfico”, acrescentou de Win.
Esse efeito está relacionado a um dado obtido pelos pesquisadores: apenas 65% dos mais de 3 mil participantes da pesquisa avaliaram que o sexo da vida real é mais estimulante do que conteúdos pornográficos.
O estudo foi feito por meio de questionários on-line difundidos a homens na Bélgica e na Dinamarca que tiveram relações sexuais nas quatro semanas anteriores à reposta às perguntas. O formulário também continha questões sobre a saúde sexual e a função erétil dos entrevistados.
Qual é o futuro do sexo?
Mais de 1h de pornô por semana
O professor de Win afirmou que em média cada homem assiste a cerca de 70 minutos de pornografia por semana, “normalmente entre cinco a 15 minutos por vez”. Ele pondera, no entanto, que a pesquisa não representa uma amostra completa da população masculina.
“Porém, o trabalho foi feito para observar qualquer relação entre o pornô e as disfunções eréteis, e, dada a grande amostra, podemos estar bem confiantes com os achados”, afirma.
A rede social focada em discussões Reddit tem comunidades dedicadas a homens que largaram o vício em pornografia on-line porque achavam que o hábito estava prejudicando suas vidas.