São formas diferentes de desenvolver a mesma doença — não necessariamente causada por mutações diferentes do coronavírus Sars-CoV-2. Descoberta pode ajudar os médicos a antecipar quem precisará de internação. Reprodução em 3D do modelo do novo coronavírus (Sars-CoV-2) criada pela Visual Science. Dentro do verde mais claro, as bolinhas vermelhas representam o ‘centro’ do vírus, o genoma de RNA; as bolinhas verdes são proteínas ‘especiais’, que protegem esse material genético. Ao redor do verde, o vermelho mais fraco é a ‘casca’, feita de uma membrana retirada da célula hospedeira. O vermelho mais vivo são as proteínas ‘matrizes’ codificadas pelo vírus. As ‘pontas’ que saem do vírus são as ‘lanças de proteínas’, que o vírus usa para se conectar às células hospedeiras e infectá-las.
Reprodução/Visual Science
Cientistas britânicos encontraram seis tipos diferentes da Covid-19, mostra estudo divulgado nesta sexta-feira (17). Segundo os pesquisadores, a descoberta veio de uma análise com um aplicativo que rastreia os sintomas da doença causada pelo novo coronavírus Sars-CoV-2.
A equipe do King’s College London, do Reino Unido, descobriu que os seis tipos da doença são correlatos aos níveis de severidade da infecção e com a probabilidade de um paciente precisar de ventilação mecânica em caso de internação.
Os seis tipos da Covid-19 descobertos pelos pesquisadores são os seguintes:
Como uma gripe, sem febre — dor de cabeça, perda de olfato, dores musculares, tosse, dor no peito, sem febre
Como uma gripe, com febre — dor de cabeça, perda de olfato, tosse, dor de garganta, rouquidão, febre, perda de apetite
Gastrointestinal — dor de cabeça, perda de olfato, perda de apetite, diarreia, dor de garganta, dor no peito, sem tosse
Tipo severo, nível 1 — dor de cabeça, perda de olfato, tosse, febre, rouquidão, dor no peito, fadiga
Tipo severo, nível 2 — dor de cabeça, perda de olfato, perda de apetite, tosse, febre, rouquidão, dor de garganta, dor no peito, fadiga, confusão mental, dor muscular
Tipo severo, nível 3, quadro respiratório e abdominal — dor de cabeça, perda do olfato, perda de apetite, tosse, febre, rouquidão, dor de garganta, dor no peito, fadiga, confusão mental, dor muscular, falta de ar, diarreia, dor abdominal
Paciente com Covid-19 internado em UTI de Atenas, na Grécia, em foto de 7 de abril
Giorgos Moutafis/Arquivo/Reuters
Com a descoberta, os cientistas esperam que os médicos consigam prever quais pacientes com Covid-19 correm mais riscos de precisar de atendimento hospitalar em futuras ondas da epidemia.
“Se você consegue prever quem são essas pessoas no quinto dia [após contrair a doença], você tem tempo para dar a elas apoio e intervenções precoce, como monitoramento do nível de oxigênio e açúcar no sangue”, comenta a médica Claire Steves, que co-liderou a pesquisa, em entrevista à Reuters.
SINTOMAS: Tosse e febre continuam como sinal mais comum da Covid-19, veja lista
O estudo ainda não passou pela revisão por pares, etapa necessária para publicação como artigo em revistas científicas. Além disso, a pesquisa se refere a tipos da doença de acordo com sintomas, e não se refere a outras cepas e mutações do vírus.
Falta de ar vem após outros sintomas de Covid-19
Initial plugin text