Medida é para garantir o bloqueio da doença, segundo Secretaria Municipal de Saúde.

Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e Centros de Saúde de Belo Horizonte foram fechados 25 vezes nos meses de agosto e setembro por causa de atendimento a pacientes com suspeita de sarampo. A capita mineira tem dois casos confirmados da doença e 44 casos são investigados.

A medida afetou 19 unidades. Algumas foram fechadas mais de uma vez, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Venda Nova, por exemplo, foi fechada três vezes em uma semana, nos dias 27 e 31 de agosto e 02 de setembro. A UPA Centro-Sul também precisou de ser fechada duas vezes, nos dias 21 e 24.

De acordo com protocolo adotado pela Secretaria Municipal de Saúde, as unidades são fechadas por duas horas para que seja feita higienização de todo o ambiente, além de vacinação de quem estiver no local. A medida é necessária, segundo a Secretaria, porque o vírus fica pelo ar por duas horas.

O Ministério da Saúde orienta aos profissionais que utilizem máscaras para proteger o rosto e que o paciente com suspeita da doença seja isolado. Todos os trabalhadores da saúde devem estar com as doses da vacina em dia. Segundo a pasta, as secretarias têm autonomia para decidir fechar a unidade.

Quando identificado um caso da doença em alguma localidade, é preciso vacinar todas as pessoas que tiveram ou tem contato com aquele caso suspeito em até 72 horas. Não há necessidade de revacinação das pessoas que já foram vacinadas anteriormente e que tem comprovação vacinal.

Quem deve se vacinar

A vacinação contra o sarampo está disponível para crianças a partir de 6 meses. Adultos também devem ser imunizados. São necessárias duas doses para quem tem até 29 anos de idade. Dos 30 aos 49 anos, é necessária apenas uma dose.

A tríplice viral está disponível em todos os 152 centros de saúde da capital. As unidades funcionam de segunda a sexta-feira, de 9h às 17h.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui