Entre as reações comuns estão a dor de cabeça, fadiga, calafrios e dor no local da injeção. Os testes foram feitos com 40 pacientes com mais de 56 anos. Pessoas são vistas na sede da Moderna Therapeutics, que está desenvolvendo uma vacina contra a Covid-19, em Cambridge, Massachusetts, nos EUA
Brian Snyder/Reuters/Arquivo
Um estudo feito com 40 pacientes mostrou que a vacina mRNA-1273, produzida pela farmacêutica norte-americana Moderna contra a Covid-19, provocou reações leves ou moderadas em idosos. A pesquisa foi publicada nesta terça-feira (29) na revista científica “The New England Journal of Medicine”.
Moderna deve diminuir ritmo de testes com vacina contra a Covid para incluir voluntários de grupos de risco
Vacina da Moderna contra a Covid-19 passa em prova de segurança e produz imunidade na 1ª fase de testes em humanos
O teste com idosos ocorreu após a empresa já ter comprovado a segurança entre os participantes de 18 a 55 anos. Só então os pesquisadores iniciaram os estudos da fase 1 com participantes mais velhos, inscritos entre 16 de abril e 12 de maio. Eles foram divididos em dois grupos: 56 a 70 anos e acima de 71 anos Os pacientes receberam duas doses, administradas com 28 dias de intervalo.
Uma escala de toxidade padrão foi usada para classificar as reações adversas, que foram consideradas leves ou moderadas. As reações mais comuns foram: dor de cabeça, fadiga, mialgia, calafrios e dor no local da injeção. Os sintomas ocorreram principalmente após a segunda imunização e surgiram no dia da vacinação ou um dia depois.
A coleta de amostras, bem como o monitoramento de eventos adversos, vão continuar até um ano após a última dose.
Veja o que mudou na corrida pela vacina contra a Covid-19
Para os pesquisadores, os dados sugerem que uma segunda dose da vacina é necessária para obter anticorpos neutralizantes em participantes com mais de 56 anos.
“Embora os tamanhos das amostras em nosso estudo fossem limitados, participantes mais velhos (incluindo aqueles que tinham 71 anos de idade ou mais) tiveram respostas imunológicas à vacina de mRNA-1273 um mês após a segunda dose”, diz o estudo.
A vacina da Moderna usa parte do material genético do vírus para estimular o corpo a produzir defesa contra o SARS-CoV-2. A mRNA-1273 é feita como RNA mensageiro (mRNA), capaz de codificar a proteína S da coroa do vírus, e o introduz no corpo com a ajuda de uma nanopartícula de gordura para induzir a proteção natural do corpo.
VÍDEOS: as últimas notícias sobre vacina
Initial plugin text