Prefeito informou que o aumento da frota é considerado uma tarefa difícil, já que envolve questões financeiras. Prefeito de Salvador, ACM Neto, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (18).
Cid Vaz/TV Bahia
O prefeito de Salvador, ACM Neto, afirmou, na manhã desta sexta-feira (18), que recebeu com surpresa a recomendação do Ministério Público da Bahia (MP-BA) ao secretário municipal de Mobilidade, Fábio Mota, para a retomada imediata de 100% da frota dos ônibus do transporte público de Salvador.
Mapa do coronavírus: Acompanhe a evolução dos casos por cidade
ACM Neto anuncia reabertura de praias em Salvador; veja regras
“Ontem, houve uma recomendação do Ministério Público, da promotora Rita Tourinho, que eu até recebi com surpresa porque ela vem participando de todas as discussões e de todas as conversas sobre a questão do transporte. Nós hoje estamos com a frota de 80%. Estamos transportando 54% dos passageiros, comparados com o período anterior à pandemia. Existe aqui, logo na largada, um desencaixe absurdo. Quem é que vai pagar essa conta? A prefeitura”, disse ACM Neto.
Durante a coletiva desta sexta, em que também foi anunciada a reabertura das praias, o prefeito informou que o aumento da frota de ônibus é considerado uma tarefa difícil, já que envolve questões financeiras. O gestor municipal também afirmou que a prefeitura já contribui com a compra do óleo diesel e com o pagamento dos rodoviários para evitar demissões e a paralisação do serviço.
“Eu estou em negociação, estamos fechando número, mas os números iniciais apontam uma necessidade – e eu vou falar aqui de um número que não está fechado – de R$ 30 milhões, que a prefeitura vai ter que aportar no sistema em duas bacias, porque a terceira nós já estamos bancando, estamos pagando. Nós estamos comprando óleo diesel, nós estamos pagando rodoviários para não ter demissão de rodoviário e paralisação de ônibus na cidade. Mais do que isso, é impossível”.
Atualmente, os ônibus da capital baiana circulam com até 80% da frota, com cerca de 1.700 ônibus, por causa da pandemia do novo coronavírus. A quantidade de passageiros fica em média 600 mil por dia, o que representa 50% do que era antes da pandemia.
No início da crise sanitária, os coletivos chegaram a rodar com apenas 30% dos veículos, fora do horário de pico, por causa da redução da demanda.
O prefeito informou que tem pedido ao secretário Fábio Mota para que observe os horários de pico e as linhas que estão mais cheias de passageiros, para aumentar a carga de veículos disponíveis. ACM Neto caracterizou a recomendação do MP como impossível de ser obedecida.
“Agora, é impossível nesse momento a gente rodar com 100% da frota, porque de duas uma: ou a prefeitura vai ter que botar mais dinheiro do que vai ter que colocar, e aí vai faltar dinheiro para a saúde, para a manutenção da cidade e a limpeza, ou nós vamos transferir para a tarifa, e aí quem paga a conta é o cidadão. E eu imagino, é óbvio, que o Ministério Público não deseje que o cidadão venha pagar a R$ 5 o ônibus, o que até o dia 31 de dezembro, enquanto eu for prefeito, eu não vou permitir que isso aconteça”.
“Não tem milagre. Ou vai tirar dinheiro da limpeza da cidade, da manutenção, para cobrir essa conta impagável do transporte público, ou vai aumentar a tarifa. A gente está numa linha absolutamente tênue para evitar que o sistema pare. A prefeitura está gastando dinheiro para impedir que o sistema pare. Essa é a maior dor de cabeça da cidade hoje”, desabafou ACM Neto.
Recomendação do MP
Ônibus do transporte público de Salvador estão rodando com 80% da frota
Cecílio Albuquerque/Agerba
O Ministério Público da Bahia (MP-BA) recomendou, na quinta-feira (17), ao secretário municipal de Mobilidade, Fábio Mota, a retomada imediata de 100% da frota de ônibus em Salvador. A Secretaria de Mobilidade (Semob) deve comunicar ao órgão, em um prazo de 48h, as providências adotadas para normalizar a operação do transporte público.
Em nota, o Ministério Público disse que os promotores de Justiça Adriano Assis e Rita Tourinho, autores da recomendação, destacaram a necessidade de estabelecer medidas efetivas que evitem a ocorrência de aglomerações nos terminais de ônibus e dentro dos veículos que compõem o sistema de ônibus na capital baiana.
Os promotores complementaram que, diante da ativação gradual da terceira fase de retomada econômica na capital, tornou-se imprescindível a readequação da frota de ônibus.
Em nota, a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) disse “que todas as informações solicitadas pelo Ministério Público Estadual, serão encaminhadas à entidade, dentro do prazo estipulado”.
Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.
Assista aos vídeos do Bahia Meio Dia