Entre os países que acumulam um número significativo de novos casos estão Israel, Montenegro e Luxemburgo. Passageiras usam máscaras para se proteger contra o coronavírus em ônibus em Tel Aviv, Israel
Reuters/Amir Cohen
A representação europeia da Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta sexta-feira (24) estar “preocupada” com o ressurgimento da Covid-19 em alguns países da Europa, e pediu que suspendam as restrições “com cuidado” ou até que as restabelecessem se é necessário.
Questionada pela AFP sobre a situação no continente, a OMS Europa não mencionou explicitamente os países que levantam preocupações, mas se referiu à sua tabela de vigilância on-line.
Com 335 novos casos por 100 mil habitantes, o Quirguistão é, em relação à sua população, o primeiro país afetado na vasta área da OMS Europa, com uma tendência fortemente crescente, de acordo com a classificação de novos casos nos últimos 14 dias do países da região.
Entre os países que acumulam um número significativo de novos casos, incluindo um aumento, estão:
Israel (256 novos casos/100 mil habitantes),
Montenegro (207)
Luxemburgo (196),
Bósnia (98),
Sérvia (71),
Romênia (52) e
Bulgária (46).
Por outro lado, a tendência é de queda na Armênia (197 casos por 100.000 habitantes), Cazaquistão (128), Moldávia (82), Rússia (60) ou Suécia (46).
Europa tem alerta de segunda onda de calor
A Europa excedeu os 3 milhões de casos na última quinta-feira, segundo a contagem da AFP, com um saldo de mais de 206 mil mortes no continente.
Na Bélgica, uma menina de três anos morreu devido ao coronavírus, anunciaram as autoridades nesta sexta-feira.
Segundo dados da OMS Europa, em geral, o número de novos casos permanece estável na sua região, cerca de 20.000 por dia.
Um nível que é observado desde aproximadamente 20 de maio e é duas vezes menor do que os picos registrados no início de abril.