Nesse episódio do podcast, Fabrício Battaglini conversa com o médico Olímpio Barbosa de Moraes Filho, ginecologista e obstetra, diretor do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), no Recife, onde a menina foi atendida e fez a interrupção da gravidez, e com a advogada Priscila Mota de Queiroz, de 33 anos. A Priscila foi violentada por um vizinho aos 10 anos e conta sua história. Você pode ouvir o Bem Estar no G1, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer ou no aplicativo de sua preferência.
A cada 15 minutos, uma menina com menos de 14 anos é estuprada no Brasil. Em tese, bastaria procurar qualquer unidade do SUS com serviços de obstetrícia para que fosse realizado um aborto, que nesses casos é permitido por lei. No entanto, na prática, sabemos que não é isso que acontece.
Brasil registra 6 abortos por dia em meninas entre 10 e 14 anos estupradas
Esse atendimento muitas vezes é negado, principalmente para meninas pobres e negras. Elas são obrigadas a realizar o procedimento em condições precárias, colocando em risco a própria saúde, ou então têm que levar adiante uma gravidez de altíssimo risco.
Essa triste realidade tomou conta da mídia nos últimos dias, por causa da interrupção da gravidez de uma menina capixaba de 10 anos. Ela era estuprada pelo tio desde os seis anos.
A menina chegou a ser internada num hospital do Espírito Santo, mas a equipe médica se recusou a realizar o procedimento. Por isso, essa menina teve que viajar para o Recife, onde finalmente conseguiu fazer o aborto.
Nesse episódio do podcast, Fabrício Battaglini conversa com o médico Olímpio Barbosa de Moraes Filho, ginecologista e obstetra, diretor do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam, no Recife, onde a menina foi atendida e fez a interrupção da gravidez, e com a advogada Priscila Mota de Queiroz, de 33 anos. A Priscila foi violentada por um vizinho aos 10 anos e vai contar sua história.
O podcast do Bem Estar tem roteiro de Karina Dorigo, assistência de direção de Ana Amélia Bazela, edição de Leonardo Nicastro e edição de redes sociais de Mariana Garcia.

Comunicação Globo

O que são podcasts?
Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde a gente quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, a gente acha na internet. De graça.
Dá para escutar num site, numa plataforma de música ou num aplicativo só de podcast no celular, para ir ouvindo quando a gente preferir: no trânsito, lavando louça, na praia, na academia…
Os podcasts podem ser temáticos, contar uma história única, trazer debates ou simplesmente conversas sobre os mais diversos assuntos. É possível ouvir episódios avulsos ou assinar um podcast – de graça – e, assim, ser avisado sempre que um novo episódio for publicado.