Retorno das aulas na escola pode representar um risco para os idosos ou adultos com problemas crônicos de saúde, que moram ou convivem com estudantes. Programa também fala sobre a relação entre diabetes e a Covid-19, e os possíveis riscos da doença para o coração. Obesidade e sobrepeso são fatores de risco para a Covid-19, mostram estudos
Uma análise de estudos feita pelo Reino Unido concluiu que a obesidade e o sobrepeso são fatores de risco para a Covid-19. De acordo com os dados, quem está com sobrepeso tem 40% mais risco de morrer e para quem é obeso, a probabilidade aumenta para 90% em relação às pessoas magras.
ASSISTA TODOS OS VÍDEOS DO BEM ESTAR NO É DE CASA DESTE SÁBADO
Vale ressaltar que em indivíduos mais velhos, a idade é o principal fator para levar à hospitalização e à morte no caso de Covid-19, a obesidade vem em segundo lugar. Em pessoas jovens, a obesidade é o primeiro fator.
De acordo com dados da Vigitel de 2018, mais da metade da população adulta brasileira (55,7%) está com sobrepeso e 19,8% está obesa. A obesidade e o sobrepeso estão ainda mais em evidência nesse momento de pandemia em que, além de serem fatores de risco para a Covid-19, o estilo de vida das pessoas não contribui para saírem dessa situação, uma vez que estamos mais sedentários e com a alimentação pior. Para falar sobre o assunto, o Bem Estar deste sábado recebeu o endocrinologista João Eduardo Salles e a nutricionista Lara Natacci.

Segundo nutricionistas, para tentar ter uma alimentação mais saudável, é bom ter em casa: iogurte; frutas; castanhas; legumes (cenoura, tomatinho e pepino); queijo magro; pão/torrada/bolacha integral; geleia. A ideia é que esses alimentos estejam prontos para consumo, para não dar preguiça de fazer nada.
A nutricionista Lara Natacci dá algumas sugestões para deixar o delivery mais saudável, como pedir os molhos, que costumam ser gordurosos, à parte, escolher os dias para comer hambúrguer e optar por sabores de pizza com vegetais, como a abobrinha. Assista no vídeo acima.
GRUPOS DE RISCO PARA A COVID-19 E A VOLTA ÀS AULAS
Como proteger pessoas do grupo de risco da Covid-19 que convivem com estudantes

A Fiocruz emitiu uma nota técnica alertando que a volta às aulas representa um risco para 9,3 milhões de brasileiros que são idosos ou adultos com problemas crônicos de saúde, que são do grupo de risco para Covid-19. Eles moram com crianças e adolescentes em idade escolar, que podem ser potenciais transmissores do vírus. Como protegê-los? A Dra. Ana Escobar, pediatra e consultora do Bem Estar, e o Dr. João Salles falam sobre o assunto e comentam quais os pontos importantes que a família deve discutir antes de decidir se a criança deve ou não voltar para a escola.
O que a família deve analisar, antes de mandar a criança para a escola:
Seu filho tem doença crônica? Se sim, avalie se é realmente necessário mandá-lo para a escola ou se há uma alternativa de deixá-lo com alguém.
Seu filho convive com alguém do grupo de risco ou com um bebê recém-nascido?
Seu filho consegue ficar de máscara o tempo todo e manter distanciamento social dos outros?
Os avós moram com a família? Avalie o que é mais seguro. Pense que, se ele for para a escola, poderá colocar em risco a saúde dos avós.
Existe estrutura para cuidar da criança, se ela não estiver na escola?
A escola do seu filho tem condições de manter as medidas de segurança?
RELAÇÃO ENTRE DIABETES E A COVID-19
Médico explica a relação entre diabetes e a Covid-19

Algumas pesquisas já mostraram que a Covid-19 agrava a diabetes e até pode causar diabetes. “O Sars-CoV 2 seria o gatilho para disparar uma reação maluca do sistema imunológico. Ele apontaria sua mira para destruir as células-beta do próprio pâncreas, que são as produtoras de insulina, sendo assim, a Covid-19 poderia causar o diabetes tipo 1”.
Dr. João Salles explica o motivo e reforça que é fundamental que os diabéticos estejam com a glicemia controlada. Para saber se a diabetes está controlada, procure seu médico e faça um exame de sangue. Meça com frequência sua glicose em casa. Quem usa insulina, tem direito a este aparelho de graça pelo SUS.
GRUPOS DE RISCO PARA COVID-19:
Pessoas acima de 60 anos;
Obesos;
Diabéticos;
Hipertensos;
Doentes renais;
Fumantes;
Gestantes;
Cardiopatas;
Pessoas com doenças pulmonares;
Pacientes oncológicos.
‘NOVO NORMAL’ NOS CONSULTÓRIOS DE PEDIATRIA
Pediatras fazem adaptações nos consultórios para atender durante a pandemia

Por conta do novo coronavírus, os pediatras, assim como outros profissionais da área médica, fizeram uma série de adaptações nos consultórios. Na sala de atendimento, o uso de máscara e o distanciamento social é seguido à risca. Assista no vídeo acima.
Veja também: AS POSSÍVEIS SEQUELAS DA COVID-19 NO CORAÇÃO
Cardiologista explica como a Covid-19 pode deixar sequelas no coração
PETS PODEM TRANSMITIR A COVID-19?
Cachorro que pegou coronavírus morre nos Estados Unidos