Mesmo com pandemia, baianos não deixaram devoção e usaram a internet como ferramenta para comemorações.Veja programação deste sábado (13) e conheça a história do santo ‘casamenteiro’. Igreja de Santo Antônio, em Salvador
Alan Oliveira/G1
Santo Antônio é comemorado neste sábado (13) e com a pandemia do coronavírus, os fiéis não puderam lotar igrejas de Salvador, como fazem tradicionalmente, para celebrar ao santo “casamenteiro”. Entretanto, os devotos podem conferir as celebrações religiosas por meio da internet.
Neste dia festivo, a igreja dedicada ao santo, no Centro Histórico de Salvador, recebeu cerca de 50 fiéis que assistiram a alvorada por volta das 6h e missa, às 7h, respeitando as normas de higiene e o afastamento de cerca de dois metros.
A igreja no bairro Santo Antônio Além do Carmo começou a ser construída em 1642 e há mais de 200 anos que os festejos ao santo são realizados no templo religioso. No local, neste sábado, os fiéis poderão conferir uma missa às 10h, que será celebrada pelo novo Arcebispo de Salvador, Dom Sérgio da Rocha. Pela primeira vez ele vai celebrar uma missa na igreja de Santo Antônio, em Salvador.
Às 12h, a igreja será fechada e higienizada. Já às 13h, a igreja será reaberta e por volta das 16h, haverá uma procissão, em carro aberto, pelas ruas do bairro. Os moradores não podem acompanhar a procissão, devem ver a passagem da imagem do santo de suas casas.
Todas as missas da Paróquia de Santo Antônio Além do Carmo são transmitidas pela internet através do Instagram, Facebook e canal no Youtube.
Além da comemoração ao santo, neste sábado é o último dia da tradicional trezena, iniciada em 1º de junho. Durante esses 13 dias, devotos acompanharam as missas pela internet e fizeram seus pedidos através de orações.
História de Santo Antônio
Trezena Santo Antônio
Netinho
Santo Antônio nasceu em Lisboa, Portugal, e recebeu o nome de Fernando. Ele era de família rica, mas quando tinha cerca de 15 anos, abriu mão da vida com a família e entrou para um convento da ordem agostiniana. Aos 20 anos, ingressou na Ordem dos Franciscanos.
No período de estudo, ele foi muito dedicado ao estudo da Bíblia e dos padres. Após ver as relíquias [objetos que pertence a um santo e é preservado para veneração] de missionários franciscanos que foram para o Marrocos, Fernando ficou decidido a seguir o exemplo deles e pediu para fazer o mesmo. Foi então que mudou o nome para Antônio e teve seu pedido aceito.
Em um momento, Santo Antônio ficou muito doente e teve que voltar para a Itália, onde encontrou São Francisco e passou a viver em clausura em um convento na Itália. A saúde de Santo Antônio sempre foi debilitada e por conta disso, teve que se recolher em um convento perto de Pádua, onde ficou até a morte. Antônio morreu em 13 de junho de 1231 e foi canonizado 11 meses após a sua morte pelo Papa Pio XII.
Segundo a Igreja Católica, Santo Antônio é conhecido como “casamenteiro”, porque no período em que viveu, entre os séculos XII e XIII, na Itália, auxiliava mulheres humildes a conseguirem um dote, requisito imprescindível na época, para se casarem.
A história mais famosa relacionada ao santo é de uma jovem que era pobre, queria se casar e não tinha dote. Ela orou a Santo Antônio pedindo a graça e um bilhete caiu em suas mãos. No bilhete estava: “Vá até o comerciante mais rico da cidade e peça a ele que lhe dê em ouro o equivalente ao peso do bilhete”.
A jovem foi até o estabelecimento e entregou o bilhete ao comerciante. O homem, sem acreditar, resolveu ceder ao pedido da jovem e colocou o bilhete de um lado da balança e uma moeda de prata do outro. Para a surpresa do comerciante, o bilhete pesou mais e a jovem conseguiu a quantia que precisava para o casamento.
Os fiéis também recorrem a Santo Antônio em busca de auxílio em causas consideradas difíceis e para restaurar famílias.
Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.