Uma equipe de cientistas peruanos desenvolveu um teste para Covid-19 rápido e portátil. O objetivo é detectar o vírus massivamente na população. O exame poderia interessar a outros países da América Latina. Médicos visitam paciente com Covid-19 em Comas, na região de Lima, no Peru, em 11 de junho
Ernesto Benavides/AFP
O biólogo Edward Malaga e sua equipe do laboratório da Universidade Cayetano Heredia, em Lima, desenvolveram um novo teste molecular para o novo coronavírus que combina as vantagens de diferentes testes já existentes.
“A ideia era de desenvolver um teste que tivesse todas as vantagens do teste molecular, que é mais preciso e permite detectar o vírus, mas com vantagens do teste serológico, que é mais rápido”, explica Malaga.
Para isso, a equipe de cientistas peruanos recuperou uma técnica desenvolvida nos Estados Unidos, que Edward Malaga qualifica de “democrática”, porque é menos complexa e, por isso, mais barata que a utilizada até agora nos testes moleculares.
“No lugar de utilizar um processo que dura horas e que requer um equipamento muito sofisticado, utilizamos uma tecnologia mais simples que detecta o vírus em 40 minutos em lugar de 3-4 horas, tempo que leva a técnica standard molecular.”
Mais rápida, menos onerosa e mais eficaz, o novo teste apresenta outra vantagem importante: é portátil. “O teste pode ser realizado tanto por um grande laboratório, quanto por pequenos consultórios médicos em zonas rurais”, explica o biólogo, “porque ele não necessita de nenhum equipamento complexo, nem pessoal especializado.”
A simplicidade de utilização do exame é um aspecto determinante para os países da América Latina, onde o tamanho dos territórios e as disparidades regionais dificultam o acesso a métodos médicos mais complexos.
Cientista na Universidade Cayetano Heredia, em Lima, no Peru, desenvolve teste molecular para a Covid-19.
Ernesto Benavides / AFP
A equipe de cientistas espera a liberação das autoridades sanitárias peruanas para comercializar o novo exame que deve permitir testar massivamente a população do Peru e já desperta interesse em países vizinhos.
A Organização Mundial da Saúde aconselhou os países, desde o início da pandemia, a testar suas populações. Apesar disso, o Brasil continua realizando poucos exames de detecção do vírus.
Estudo canadense questiona eficácia de testes rápidos para Covid-19
Ministério da Saúde anuncia ampliação de testes para Covid-19
Testes rápidos de Covid-19: quem deve fazer?
Brasil realiza 1,1 teste de Covid-19 para cada caso confirmado da doença, segundo pesquisa
Justiça derruba liminar que obrigava planos a pagar por teste de anticorpos contra Covid
Initial plugin text