Desempregada, Maria José, de 37 anos, vive com os cinco filhos em uma residência à beira de um riacho no bairro Calumbi, em Feira de Santana. Casa apresenta rachaduras e família passa fome na cidade de Feira de Santana
Uma família de seis pessoas convive com o medo de ver sua casa desabar em Feira de Santana, a cerca de 100 quilômetros de Salvador. Desempregada, Maria José, de 37 anos, vive com os cinco filhos em uma residência à beira de um riacho no bairro Calumbi. O imóvel apresenta rachaduras e infiltrações.
Maria José relata que tentou auxílio-aluguel ou se cadastrar em programa de habitação para deixar o local, mas não conseguiu.
“Fui no Cras (Centro de Referência de Assistência Social (Cras), que veio aqui, filmou, disse que mandou para a Defesa Civil. Ligo para lá e nada. O Cras diz que não pode fazer mais nada por mim. [Enquanto isso] Minha situação piora, porque chove, e as rachaduras vão piorando”, lamenta Maria José.
“O chão, acho que infiltra água do riacho. Está tudo infiltrado, em tempo de desabar. Veio um pastor aqui e falou: ‘É, irmã, quem está sustentando a sua casa é Deus’”, continua Maria José.
Maria José afirma que a renda que tem vem do Bolsa Família. Com o auxílio emergencial, o valor é de R$ 600. Ela conta também que recebe auxilio-merenda só para um dos filhos que estuda na rede estadual, no valor de R$ 55. Os outros aguardam auxílio da prefeitura.
Família vive em casa com rachaduras e infiltrações
Reprodução
“[Só tenho o] Básico mesmo, porque os meninos nem merenda têm. Às vezes, me pedem merenda, mas eu não posso dar. Roupa, calçado… Ele [um dos filhos] estava fazendo tratamento de tuberculose, e o posto estava mandando a feirinha dele todo mês, mas ele já está bom”, relata Maria José.
“Quem puder ajudar com o que for, preciso em todas as áreas: calçados, roupas. Agora que chegou o inverno, situação de frio, cobertores. Sou necessitada em tudo, até auxílio-aluguel. Só de sair daqui vai ser muito gratificante”, continua a mulher.
Filho mais velho de Maria José, João Vitor, de 19 anos, segue estudando, mesmo com as aulas suspensas, com objetivo de conseguir dar um lar melhor para a família.
“Meu sonho é dar um lar melhor para minha família. Que a gente se sinta como todos os outros, ter as mesmas oportunidades”, diz João Vitor.
O secretário de Desenvolvimento Social de Feira de Santana, Denilton Brito, informou que vai encaminhar uma equipe até a casa de Maria José para avaliar a situação da moradia e tomar as providências necessárias.
Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.