Ideia partiu de moradora do bairro Santo Antônio da cidade, que é devota desde pequena e decidiu reunir vizinhança para homenagear o santo casamenteiro. Devotos de Santo Antônio fazem adaptações para celebrar o dia do padroeiro
Em meio à pandemia, devotos de Santo Antônio fazem celebração da porta de casa em Itabuna, cidade no sul da Bahia. A comemoração acontece vai desde o dia 31 de maio até sábado (13), data que celebra o dia do santo conhecido como “casamenteiro”.
O trezenário virou tríduo e, nesta quinta (12), foi a terceira noite de missa em homenagem ao santo. Para a festa no sábado, terá mais missa transmitida pela internet. n
No bairro Santo Antônio, mora dona Elinor Batista, a “Nôca”. Ela é devota do santo desde pequena e teve a ideia de reunir a vizinhança para homenagear o santo casamenteiro.
“Minha mãe estava grávida, ia ganhar um neném e não sabia se era homem ou mulher. Então, ela teve um sonho de que tinha um filho, que seria homem e ele era batizado por um frade e o nome da criança seria Antônio. Tudo aconteceu como ela sonhou”, disse.
“Eu já tinha comprado o megafone aí eu perguntei para as pessoas se elas me ajudavam a rezar para Santo Antônio e elas graças a Deus me apoiaram”, concluiu dona Nôca.
A oração acontece no fim da tarde, com a participação de, pelo menos, 20 pessoas. A aposentada Zenaide Sampaio, recebeu o convite da vizinha e comparece na celebração todos os dias.
“Quando ela disse que a gente ia rezar o trezenário de Santo Antônio na porta de casa, abraçamos com muita fé, com muito amor”, contou a aposentada.
Com a forma diferente de homenagear o santo, a fé também foi para o outro lado da rua. Mesmo quem não era devoto de Santo Antônio, como a consultora Fátima Bonfim, foi envolvido pela emoção.
“Eu sou católica, mas eu nunca fui devota de Santo Antônio, nunca tive essa devoção. Eu aceitei o convite da dona Nôca pelo fato da pandemia e de eu não poder ir para a igreja.Ela combinou que cada um fizesse na sua porta, juntas em oração”, contou Fátima.
O movimento na rua é o oposto do silêncio da Igreja de Santo Antônio, na praça principal do bairro. Os festejos são tradição na paróquia que, este ano, celebra 30 anos de existência.
“Amanhã, às 16h30, será a missa solene e depois da missa tem a benção dos pães, tudo on-line. Procissão não, nem procissão, nem carreata, é uma coisa totalmente atípica”, disse o padre.
Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.