Anthony Levandowski, o ex-engenheiro da divisão de carros autônomos da Google, a Waymo, foi condenado a 18 meses de prisão por ter roubado segredos comerciais antes de sua saída da empresa.

Levandowski teria posteriormente usado esses mesmos segredos comerciais na formação de uma startup que, eventualmente foi adquirida pela Uber. Vale lembrar que, tal como a Google, a Uber é uma das empresas tecnológicas com ambições na área dos carros autônomos. Entretanto, a Uber foi processada pela empresa-mãe da Waymo e da Google, a Alphabet, em 2017.

Os advogados de Levandowski procuraram obter uma sentença de um ano de prisão domiciliária mas, nas palavras do juiz encarregado do caso, esta sentença “daria luz verde a todos os futuros engenheiros brilhantes de roubarem segredos comerciais”.

Da sua parte, a Waymo adiantou ao TechCrunch que a sentença “representa uma vitória para todas as leis de segredos comerciais que promovem desenvolvimento de tecnologia de ponta”.