Presidente associou triângulo vermelho invertido ao movimento Antifa, que combate o fascismo. Em campos de concentração, símbolo era costurado em mangas de prisioneiros socialistas, social-democratas, comunistas e anarquistas, mas também sindicalistas, maçons e pessoas que haviam tentado resgatar judeus. Anúncio para reeleição de Donald Trump foi removido pelo Facebook
Reprodução/Twitter/Nick Corasaniti
O Facebook removeu nesta quinta-feira (18) anúncios da campanha pela reeleição de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos, devido ao uso de um símbolo semelhante ao usado por nazistas em campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial.
“Removemos essas postagens e anúncios por violar nossa política contra o ódio organizado. Nossa política proíbe o uso do símbolo de um grupo de ódio proibido para identificar presos políticos sem o contexto que condena ou discute o símbolo”, afirmou o porta-voz do Facebook, Andy Stone, ao justificar a decisão da plataforma.
Em um anúncio, um triângulo vermelho invertido era associado aos grupos Antifa (abreviação de antifascism), a quem Trump tenta classificar como terroristas, acompanhado do texto: “Perigosas MÁFIAS de extrema esquerda estão correndo pelas nossas ruas e causando um caos absoluto. Eles estão DESTRUINDO nossas cidades e causando tumultos – é loucura absoluta”.
Entenda quem são os antifas, que Trump acusa de orquestrar os protestos nos EUA
Initial plugin text
O símbolo é idêntico ao que prisioneiros de campos de concentração eram obrigados a usar costurados em suas roupas, para identificar que haviam sido detidos por serem socialistas, social-democratas, comunistas e anarquistas, mas também sindicalistas, maçons e pessoas que haviam tentado resgatar judeus.
Antes dos anúncios serem retirados do ar, o site “Daily News” falou com Ken Farnaso, porta-voz da campanha de reeleição de Trump, que disse que “o triângulo vermelho é um simbolo da Antifa”. Farnaso não respondeu a pedidos de entrevista após a retirada dos posts.