Prorrogação, a terceira desde o primeiro decreto, vale por 30 dias e permite extensão de quarentena. País registra quase 3 mil infectados pela Covid-19 e 23 mortos, segundo cifras oficiais, questionadas por organizações como a Human Rights Watch. Pedestres usando máscaras de proteção lotam ponto de ônibus em calçada de Caracas, na Venezuela, em foto de 1 de junho
AP Photo/Ariana Cubillos
O governo venezuelano prorrogou nesta sexta-feira (12) por um mês o “estado de alerta” decretado em 13 de março para conter a propagação do novo coronavírus, medida que oferece uma base legal para a continuação da quarentena.
“O Estado de Exceção de Alerta” é prorrogado por 30 dias no país, dadas as circunstâncias de ordem social que colocam gravemente em risco a saúde pública e a segurança dos cidadãos”, diz o decreto presidencial, publicado no Diário Oficial.
Esta é a terceira prorrogação decretada pelo governo socialista, no momento em que a Venezuela experimenta, desde 1º de junho, uma flexibilização do confinamento, que havia paralisado as atividades não-essenciais.
O “estado de alerta” é uma modalidade do estado de exceção que outorga ao presidente faculdades especiais, com as quais ele ordenou a quarentena em vigor na capital desde 16 de março, que, no dia seguinte, foi estendida a todo o país, de 30 milhões de habitantes.
A Venezuela registra quase 3 mil infectados pela Covid-19 e 23 mortos, segundo cifras oficiais, questionadas por organizações como a Human Rights Watch.
Initial plugin text