Michael Flor ficou 62 dias internado, sendo que 29 deles com um ventilador. Um homem de 70 anos recebeu uma conta de US$ 1,1 milhão do hospital onde se tratou de Covid-19, Seattle, nos Estados Unidos, de acordo com o jornal “The Seattle Times” .
Michael Flor ficou 62 dias internado no Centro Médico Sueco em Issaquah e esteve à beira da morte. Como as visitas não eram permitidas, uma enfermeira segurou um telefone em seu ouvido para que ele pudesse se despedir da mulher e dos filhos.
Flor ficou em um ventilador por 29 dias. Sua recuperação e a sua saída do hospital, em 12 maio, foi notícia no periódico local.
O americano se recuperava bem em sua casa quando recebeu a conta com 181 páginas descrevendo os procedimentos médicos aos quais foi submetido ao longo da internação e o valor exato de US$ 1.122.501,04.
Flor ficou assustado com a conta e que seu “coração quase parou pela segunda vez”, segundo relato do jornal. Porém, como ele possui seguros de saúde, incluindo o Medicare, ele não precisará pagar a maior parte do valor.
Flor disse que ficou surpreso com sua própria reação após ter se recuperado. “Sinto-me culpado por sobreviver. Existe uma sensação de ‘por que eu?’. Por que eu mereço tudo isso? Observar o custo incrível de tudo isso contribui para a culpa desse sobrevivente”, declarou ao jornal.
Descrição dos custos
A diária no quarto da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) custava US$ 9.736. Apenas profissionais da saúde com roupas de proteção podiam entrar no quarto do isolamento onde ele ficou por 42 dias – o que custou US$ 408.912.
O gasto com a utilização do ventilador mecânico por 29 dias, que custa US $ 2.835 por dia, totalizou US$ 82.215.
Cerca de um quarto da conta são gastos com medicamentos.
A lista de gastos dão ideia do tamanho da batalha enfrentada por Flor. Os procedimentos feitos nos dois dias em que seu coração, rins e pulmões estavam falhando são descritos em 20 páginas de gastos, que totalizaram em US$ 100 mil.
Initial plugin text