Novas intervenções promoveram melhorias na estrutura física, novas redes elétrica e hidráulica e reforma do auditório, com um custo total de R$ 1,3 milhão. Inauguradas obras de reforma do Quartel dos Aflitos
Divulgação/SSP
Foram inauguradas na manhã desta quarta-feira (19) as novas instalações do quartel do Comando Geral da Polícia Militar, localizado no Largo dos Aflitos, em Salvador, após passar por reformas.
A cerimônia contou com as presenças do governador Rui Costa, do secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, do comandante geral da PM, coronel Anselmo Brandão, além de oficiais e praças da corporação.
De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), a sede do comando geral da PM foi construído em 1639 e passou pela última reforma em 1987.
Governador Rui Costa, secretário de segurança Maurício Barbosa e comandante geral da PM, coronel Anselmo Brandão
Divulgação/SSP
As novas intervenções promoveram melhorias na estrutura física, novas redes elétrica e hidráulica e reforma do auditório, com um custo total de R$ 1,3 milhão.
Durante a cerimônia, três policiais militares que resgataram vítimas na tragédia envolvendo a embarcação Cavalo Marinho I, em 2017, foram homenageados com o Diploma de Bravura. Os PMs David Borges Souza (5ª CIPM) e Valdemar Alves Freitas Júnior (1ª CIPM) foram promovidos ao posto de cabo, e Jonas Coelho de Araújo (5ª CIPM) ao posto de subtenente, por salvarem a vida de diversas pessoas do naufrágio.
A PM também concedeu o Diploma de Bravura ao soldado Edfranco Leite Araújo, lotado no 20º Batalhão, que salvou duas pessoas que estavam se afogando na ponte Rio São Francisco, em novembro de 2010, sendo reconhecido como um ato de heroísmo pela população local.
História
Segundo a PM, prédio do Quartel dos Aflitos foi construído em 1639
Divulgação/SSP
Segundo a PM, o prédio do Quartel dos Aflitos foi construído em 1639, pelo 16º governador da Bahia, D. Fernando de Mascarenhas, Conde da Torre.
Inicialmente chamado de Casa do Trem, funcionou como base do sistema defensivo da cidade, fornecendo armas e munições para as demais fortalezas. Na época, o trem saía do quartel carregado de pólvora e era levado para municiar os fortes da cidade.
Em 1837, durante o Movimento da Sabinada, o prédio foi ocupado por revolucionários que se apoderaram das armas e instalaram uma fabrica de cartuchos. Posteriormente, na fase de reação das forças legais que debelaram o movimento, o quartel foi retomado pela Brigada Pernambucana, unidade integrada pelo Exército Restaurador, comandada pelo Tenente-coronel Alexandre Gomes de Argolo Ferrão.
Quase 20 anos depois da Sabinada, o prédio tornou-se hospital militar. Já no final do séc. XIX, o presidente da província, João Capistrano Bandeira de Mello, solicitou ao ministro da guerra autorização para mandar demolir o quartel, declarando que o mesmo estava em ruínas. Capistrano, contudo, desistiu da demolição e reconstruiu o Quartel dos Aflitos, que ganhou mais dois Corpos do Regimento Policial.
Em 1920, o quartel estava em ruínas. Com isso, a administração decidiu transferir a corporação para os Barris, instalando-se no Quartel da Cavalaria. O então governador Juracy Montenegro Magalhães iniciou a restauração do prédio, reformando a estrutura arquitetônica, construindo no pavimento superior, as alas laterais e a parte do fundo. Em 1938, o comando retornou ao quartel.
Confira mais notícias do estado no G1 Bahia.