Decisão do afastamento tinha saído no dia 7 de agosto. Prefeito ficou conhecido após comentário polêmico de que autorizaria reabertura do comércio ‘morra quem morrer’. Desembargadora suspende decisão que extinguia cargo do prefeito de Itabuna
A Justiça de Itabuna, cidade no sul da Bahia, derrubou, nesta segunda-feira (17), a decisão que determinava a extinção do cargo do prefeito Fernando Gomes (PTC), e a suspensão dos direitos políticos por três anos, a partir de novembro de 2019.
Veja gráfico de casos e mortes em Itabuna desde o início da pandemia
A decisão do afastamento do prefeito tinha saído no dia 7 de agosto, atendendo a um pedido do Ministério Público da Bahia (MP-BA). O prefeito Fernando Gomes recorreu.
De acordo com a decisão desta segunda, Fernando Gomes permanece no cargo até que sejam apresentadas novas informações, sobre o recurso.
O prefeito é apontado por improbidade administrativa. Ele não tinha deixado o cargo, porque o juiz tinha determinado que o presidente da Câmara de Vereadores declarasse a extinção do mandato do prefeito e empossasse o vice-prefeito Fernando Vita, no prazo de 15 dias.
No início do mês de julho, em um anúncio, nas redes sociais, sobre as ações municipais referentes ao comércio durante a pandemia do novo coronavírus, Fernando Gomes fez um comentário que causou polêmica. O prefeito declarou por meio de transmissão pela internet que autorizaria que estabelecimentos comercias reabrissem “morra quem morrer”. Ainda no mesmo período, o gestor afirmou que não houve ‘descaso’ com vítimas da Covid-19 ao falar declaração polêmica.
Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.
Justiça determina extinção de mandato do prefeito de Itabuna e suspensão de direitos políticos
Reprodução/TV Santa Cruz