Neymar
Neymar perde força com o mercado publicitário (Imagem: Reprodução / Instagram)

Neymar se tornou nos últimos anos uma verdadeira máquina de ganhar dinheiro para o mercado publicitário, mas nem toda a simpatia do atacante do Paris Saint-Germain com o público, principalmente o jovem, foi capaz de segurá-lo no topo da lista em meio à lista enorme de polêmicas envolvendo o seu nome.

Desde as quedas na Copa da Rússia, em 2018, o escândalo com a modelo Najila Trindade e, mais recentemente, e até a situação inesperada com o ex-padrasto foram fundamentais para que os principais nomes da publicidade não colocassem o jogador como garoto-propaganda de suas marcas.

De acordo com as informações da revista Veja, Neymar caiu no ranking de garotos-propaganda mais valorizados do Brasil. Nos primeiros seis meses de 2018, ele era o terceiro mais bem cotado em anúncio para empresas como a C&A e Gol, com um total de 3.498 inserções em comerciais de TV. Em 2020, Neymar caiu para o 41º lugar, com “apenas” 304 inserções.

O famoso foi superado por nomes como Fábio Porchat e Adriana Esteves, o apresentador do GNT com 2.066 inserções, e a atriz da Globo com 918 inserções. Os dados foram fornecidos pela consultoria Controle da Concorrência.

Em junho deste ano, o ativista LGBTI+ Agripino Magalhães processou Neymar, após o atleta ter chamado o ex-namorado da mãe de “viadinho” em um áudio vazado. Segundo o jornal Extra, o rapaz pediu na Justiça a apreensão do passaporte do atleta para que ele não deixe o Brasil e isso atrapalhe as apurações de um possível inquérito sobre o caso.

O post Mercado Publicitário joga Neymar na “reserva” após escândalos apareceu primeiro em RD1 → Audiência da TV, Notícias da TV e Famosos.