Em dezembro de 2019, Li Wenliang enviou mensagem a colegas médicos sobre casos de contágio; por causa disso, foi investigado pelo governo chinês. Ele morreu em fevereiro. O médico Li Wenliang, que fez alerta sobre coronavírus na China em dezembro de 2019
Divulgação
A viúva de Li Wenliang, médico chinês que fez um alerta sobre o coronavírus ainda em 2019, deu à luz ao filho do casal, segundo a imprensa do país.
Li morreu, vítima da Covid-19, em fevereiro.
Fu Xuejie, sua mulher, compartilhou uma foto do bebê na rede social chinesa WeChat. É o segundo filho dela com o médico.
“Marido, você pode ver isso do céu? Você me deu seu presente final hoje. É claro que vou amá-los e protegê-los”, escreveu.
Li foi investigado pelas autoridades chinesas por “espalhar boatos”. Depois de protestos após sua morte, ele foi homenageado pelo governo como herói.
Alerta aos colegas
Oftalmologista em um hospital em Wuhan, o primeiro epicentro do coronavírus no país, ele enviou uma mensagem aos colegas médicos, em dezembro de 2019, dizendo que havia notado sete casos de um vírus que pensava ser Sars – uma doença que se espalhou pelo mundo em 2003.
Na conversa, o doutor alertou o grupo sobre a necessidade do uso de equipamentos de proteção para evitar infecções.
Imagem mostra foto do oftalmologista Li Wenliang, que morreu com coronavírus após ser reprimido pela polícia chinesa ao tentar alertar sobre o surto quando ele ainda estava no início. Retrato foi visto entre flores em frente ao Hospital Central de Wuhan, na China.
STR/ AFP
Dias depois, ele foi orientado pela polícia a “parar de fazer comentários falsos” e foi investigado junto com outros oito médicos por “espalhar boatos”.
Depois de contrair o coronavírus de um paciente, Li compartilhou sua experiência com a doença nas redes sociais antes de morrer, em fevereiro.
Sua morte provocou uma onda de protestos contra a resposta das autoridades à propagação do vírus na China.
O governo pediu desculpas à família do médico e admitiu “deficiências” em suas ações contra a doença.
Morre médico chinês que fez alerta sobre o novo coronavírus