Ação chamada de ‘Dia D de Cadastros’ fará novos registros de novos doadores, das 7h às 16h. Hemoba promove Dia D de cadastro de novos doadores de medula
Divulgação / Secom
Neste sábado (19) é comemorado o Dia Mundial do Doador de Medula Óssea. Para celebrar a data e incentivar o registro de novos doadores, a Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba) vai realizar um ‘Dia D’, na sede da unidade, na Vasco da Gama, em Salvador. O atendimento vai ser das 7h às 16h.
De acordo com dados do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), de janeiro a agosto de 2019, foram registradas 14.595 novos doadores de medula em todo país. Com a pandemia do novo coronavírus, em 2020, o número caiu para 4.589 mil, no mesmo período.
Essa queda no número de cadastros está ligada à ausência de novos doadores de sangue por conta da pandemia.
Hemoba tem estoque crítico de bolsas de sangue por causa de queda nas doações na Bahia
Na Bahia mais de 189 mil pessoas são cadastradas no Redome e 794 baianos já receberam doação de medula desde 2009.
“Ano passado ultrapassamos o teto de 20 mil cadastros até dezembro. Mas desde o começo da pandemia, temos recebido mais doadores já fidelizados. Nossa esperança é captar novos doadores com o dia D”, diz o diretor geral da Hemoba, Fernando Araújo.
Como funciona
Doação de sangue na Hemoba
Hemoba/ Divulgação
Para ser um doador de medula óssea, é preciso ter entre 18 e 55 anos, ter boas condições de saúde, preencher um formulário com dados pessoais e realizar a coleta de uma amostra de 5 ml de sangue para testes de compatibilidade.
Os dados pessoais e os resultados dos testes armazenados no sistema são cruzados com os dados dos pacientes que estão precisando do transplante. Em caso de compatibilidade, o doador é chamado para exames complementares e para efetivar a doação.
Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.
Assista aos vídeos do Bahia Meio Dia