Situação inusitada aconteceu na costa da Praia de Itacimirim, que fica na cidade de Camaçari, região metropolitana de Salvador, na tarde de domingo (13). Orcas assustam pescadores na praia de Itacimirim, no litoral norte veja o flagrante
Um grupo de orcas cercou o barco de dois pescadores na costa da Praia de Itacimirim, que fica na cidade de Camaçari, região metropolitana de Salvador, na tarde de domingo (13). Os animais acompanharam a embarcação por cerca de duas horas, enquanto “brincavam” entre si. [Assista vídeo acima]
No barco estavam Geovani da Silva e Carlos Geovani, pai e filho respectivamente. No momento em que saíram para a pesca, Geovani comentou que o mar estava estranho, porque ultimamente muitas baleias jubartes ficavam na região, e no domingo ele não viu nenhuma no mar. Segundo ele, a “visita” causou um misto de alegria e medo.
“Depois, já no mar, eu olhei e disse: ‘Olha uma baleiazinha ali’. Aí quando meu filho olhou, falou: ‘Meu pai, não é uma baleia jubarte, não. É uma orca’. Aí a gente começou a fazer a filmagem. Elas começaram a se aproximar lentamente, a se acostumar com a embarcação, depois uma agarrou o isopor, quebrou ele e depois voltaram para a embarcação. Aí foi uma alegria maravilhosa, mas depois o negócio foi apertando, né?”, conta ele aos risos.
Orcas ‘cercam’ barco de pescadores no litoral da Bahia
Reprodução/TV Bahia
Todo o encontro foi filmado pelos dois, que se divertiram com a aparição das orcas. Os animais acompanharam os pescadores até o anoitecer e começaram a bater no fundo da embarcação, assustando pai e filho, que resolveram voltar mais cedo da pescaria.
“Foi uma experiência boa, maravilhosa, mas eu não queria passar de novo não. Foi entrando a noite, e a gente começou a ficar com medo, na realidade, né? A gente não sabia como elas iam se comportar de noite, o que elas queriam com a gente. Então a gente teve que voltar da pescaria de noite”, disse Geovani.
O biólogo Francisco Kelmo explicou que, apesar do susto, as orcas são animais que não atacam humanos e que o fato delas estarem em grupos é normal.
“De acordo com o vídeo, tudo indica que havia oito animais ali naquela área, uma família completa. Como a embarcação estava muito próxima aos animais, elas se aproximaram ainda mais. Qualquer dano causado ao barco foi puramente acidental, não existe essa possibilidade das baleias atacarem a embarcação. E claro, elas estavam ali, elas vivem em grupos e não existe nada de anormal. E lembrando a todos, não são baleias, são golfinhos. Orcas são golfinhos”, detalhou.
Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.
Assista ao Bahia Meio Dia