O mundo do xadrez recebeu uma notícia-bomba recentemente, no primeiro episódio do podcast, intitulado “The Magnus Effect”. O norueguês Magnus Carlsen anunciou sua renúncia em defender o seu título de atual Campeão Mundial, que estaria em

jogo nova disputa no match contra o russo Ian Nepomnichtchi, prevista no início de 2023. O novo desafiante será o chinês Ding Liren.  A médica e ex-jogadora de xadrez, Paula Fernanda Delai, comenta: “A decisão levanta a possibilidade de modificar o formato de disputa dos próximos ciclos, visando aumentar a competitividade. Isso levaria a rumos mais benéficos pois gera imprevisibilidade e oportunidade a novos talentos”.

Em sua avaliação, Paula começa apontando uma declaração do superastro norueguês em dezembro de 2021. “Logo após o campeonato mundial anterior de 2021 em Dubai, quando ele venceu o próprio Nepomniachtchi, Carlsen disse que a alegria pela vitória não foi nem de longe tão forte quanto ele esperava.”, pontua a ex-enxadrista.

Outro ponto importante a ser considerado, na opinião de Paula Delai, é que Carlsen também declarou, na mesma ocasião, que ele se sentia motivado para defender o título em outro match apenas se o iraniano-francês Firouzja vencesse o Torneio de Candidatos de 2022, o que não aconteceu. “Ele disse que realmente ficou impressionado com a ascensão de Alireza Firouzja, considerando a idade dos 18 anos e destaque com alto rendimento entre os melhores jogadores do mundo”, afirma.

Ainda segundo Paula Delai, não é difícil compreender as razões de Magnus Carlsen não querer participar do mundial contra o mesmo oponente. “O torneio mundial é muito exigente, necessita preparação á longo prazo, tanto no aspecto físico quanto mental. É necessário uma rotina de treinamento consistente e abdicações para vencer todas as etapas e entrar num ciclo de disputa, que está muito restrito atualmente. A desistência de Carlsen é legítima e pode ensejar outras reflexões, como inclusão de maior número de participantes e outros Continentes.”, revela Paula.

Na visão da médica e ex-jogadora, Paula Fermanda Delai : “A desistência de Carlsen pode levar á uma série mudanças favoráveis. Ele deixou claro que não está se aposentando, pelo contrário, há uma série de torneios programados para ele participar no futuro. Metas para atingir 2900 de rating FIDE. final, como bom estrategista que é, Magnus Carlsen provavelmente está com uma boa jogada em mente para alavancar ainda mais sua carreira e o futuro do xadrez no geral. Entendedores entenderão”, conclui a ex-enxadrista Paula Fernanda Delai.