Prefeito Bruno Covas (PSDB) determinou neste sábado (4) regras para funcionamento de estabelecimentos durante a quarentena na capital; veja as principais medidas. O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), assinou neste sábado juntamente com outras autoridades e representantes de setores comerciais (4) os protocolos para a reabertura de bares, restaurantes e salões de beleza na cidade, durante a quarentena, a partir de segunda-feira (6).
Eles estão fechados atualmente em razão da pandemia de coronavírus porque não são considerados serviços essenciais, como, por exemplo, saúde, alimentação, abastecimento e transporte.
Numa transmissão ao vivo pela internet, a prefeitura divulgou como serão as regras da retomada do funcionamento desses setores na capital (veja abaixo).
Esses estabelecimentos comerciais poderão reabrir oficialmente a partir de segunda desde que obedeçam protocolos sanitários e de segurança para se evitar o risco de contágio pelo vírus.
O município avançou no último dia 26 de junho para a fase amarela do Plano São Paulo da retomada gradual das atividades econômicas. Nessa etapa são permitidas as voltas dos bares, restaurantes e salões, como cabeleireiros e barbearias.
Covas decidiu seguir a orientação do Comitê de Contingência da Covid-19 e aguardou resultados desta semana para saber se a capital ainda permaneceria na fase amarela.
Bares, restaurantes e salões de beleza voltam a funcionar na próxima semana
Veja abaixo as principais regras do protocolo para os estabelecimentos funcionarem durante a quarentena na capital:
Funcionamento durante o dia, por seis horas diárias, e até 17h;
Ocupação deve ser limitada a 40% da capacidade máxima;
Mesas terão de ficar com dois metros de distância e as cadeiras com um metro de afastamento;
Máximo de seis pessoas por mesa;
Consumo apenas sentado nas mesas;
Filas de caixa e de buffet, banheiro, entrada e saída com distanciamento de 1,5 metro entre as pessoas;
Funcionários devem usar viseira de acrílico;
Temperos e condimentos oferecidos em sachês;
Ambientes climatizados terão de ser higienizados;
Durante coletiva nesta sexta-feira (3), o prefeito Bruno Covas disse, ao ser questionado sobre a possibilidade de estender o horário de funcionamento de bares e restaurantes na cidade até 22h, que vai seguir a regra estadual que limita o horário até as 17h.
“A informação que temos aqui do estado é que o decreto constará a obrigatoriedade das 17h. Então, a partir do momento que é uma obrigatoriedade, é necessário que os municípios sigam essa determinação”, disse o prefeito de São Paulo nesta sexta-feira (3).
Para a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), dois pontos da reabertura do setor são mais complicadores e podem impedir que os empresários abram as portas de fato na segunda.

“Tem café que tem perfil de clientela na parte da manhã, tem bar que o perfil de consumo é durante a noite, tem restaurante que funciona melhor no almoço”, disse na sexta Percival Maricato, presidente da Abrasel.
SP antecipa reabertura de cinemas, teatros e academias para cidades na fase amarela
Nesta sexta-feira (3), o governo paulista autorizou a reabertura de teatros, cinemas, salas de espetáculo, realização de eventos culturais e academias de ginástica para regiões que estejam na fase amarela do plano de flexibilização gradual da quarentena no estado.
Serão permitidos apenas eventos com público sentado e a previsão é a de que a reabertura do setor cultural ocorra na capital paulista no dia 27 de julho, após o município apresentar estabilidade de 4 semanas na fase amarela.
Já as academias têm autorização estadual para reabrir a partir de segunda-feira (6), mas a volta do funcionamento depende de assinatura de protocolos pelas prefeituras e ainda não há previsão de data para que isso ocorra na capital.
Theatro Municipal de São Paulo em foto de 2019
Celso Tavares/G1