Novos casos de Covid-19 no Reino Unido quase dobraram para 6 mil por dia em setembro; país não descarta volta de medidas mais restritivas. Boris Johnson durante visita ao centro médico Tollgate em Londres, na Inglaterra
Jeremy Selwyn/Pool via Reuters
c
O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse nesta sexta-feira (18) que é inevitável o país ter uma segunda onda de coronavírus e que, embora não queira um segundo isolamento nacional, o governo pode ter que impor novas restrições.
Restrições são retomadas em países da Europa para conter aumento nos casos de coronavírus
Há rumores de que o país cogita adotar um novo isolamento em toda a Grã-bretanha, já que os casos novos de Covid-19 quase dobraram para 6 mil por dia, as internações aumentaram e as taxas de infecção dispararam em partes do norte da Inglaterra e em Londres.
“Agora estamos vendo uma segunda onda chegar”, disse o chefe de governo. “Temo que será absolutamente inevitável a vermos neste país.”
O aumento acentuado de casos britânicos significa que o governo precisa continuar sendo vigilante em tudo, e ele não descartou a adoção de medidas adicionais.
“Não quero nem um pouco entrar em um segundo isolamento nacional”, disse ele, mas acrescentou: “Quando vemos o que está acontecendo, tem que se perguntar se precisamos ir mais longe”.
VÍDEOS: Notícias internacionais
i
Initial plugin text