Na sexta-feira (28), muitas filas foram formadas nos postos de saúde, e pessoas reclamaram que não estavam conseguindo fazer procedimento pela internet. Sexta marcada por filas e reclamações para recadastramento do cartão do SUS
O secretário de Saúde de Salvador, Leo Prates, informou que, até a noite de sexta-feira (28), quase 940 mil pessoas já tinham realizado o recadastramento do cartão SUS. Somente na quinta (27) e na sexta-feira, foram 239 mil recadastramentos.
O site criado pela Secretaria de Saúde feito pela prefeitura para que esse procedimento possa ser feito online vem sendo alvo de reclamações de muitas pessoas que não conseguem acessar ou concluir o processo.
Na manhã deste sábado, o site passou grande parte do tempo fora do ar. O secretário Leo Prates afirmou que o sistema nacional está um pouco instável.
A princípio, o prazo para fazer o recadastramento terminaria na segunda-feira (31), entretanto foi prorrogado até 30 de setembro.
Confusão
Moradores fizeram fila para conseguir recadastramento no SUS
Reprodução/TV Bahia
Na sexta-feira (28), grandes filas foram formadas por várias pessoas que procuraram postos de saúde em Salvador, para fazer o recadastramento obrigatório. Muitos usuários foram até às unidades após transtornos, enquanto tentavam fazer o processo pela internet.
De acordo com Leo Prates, cerca de 200 mil pessoas fizeram cadastro na quinta-feira (), e esse alto volume teria causado instabilidade no sistema.
“Foi um volume de pessoas muito acima do que nós esperávamos. A entrada no site foi um volume muito maior do que a gente esperava e do que estava previsto. Nós estávamos cadastrando em um mês, cerca de 90 mil pessoas. Em 24h, cadastramos 200 mil. O volume de pessoas, misturado com o site, é lógico que o sistema vai ficar lento. O sistema do posto de saúde e o que a pessoa está entrando está casado no nosso servidor. Isso deu instabilidade”, falou.
Mesmo sendo obrigatório, muitas pessoas comentaram que não foram avisadas sobre a necessidade de realizar o recadastramento. A prefeitura afirma que houve divulgação.
O resultado foi muita gente nas ruas, à procura do serviço presencial. Por volta das 12h30, muitos moradores estavam no Posto de Saúde Ramiro de Azevedo, que fica no Campo da Pólvora. A situação também foi parecida no Posto de Saúde do 5º Centro.
Em umas das filas, uma usuária do sistema disse que tentou várias vezes, mas não conseguiu fazer pela internet.
“O site realmente está lento. A gente não consegue, demora um pouco. Quando eu coloquei meu CPF, automaticamente foi preenchendo. Quando eu vi, o nome de minha mãe estava errado. O nome do meu pai tá como meu nome social. Quando tento corrigir isso, se deixo como está, não finaliza. Eu tento finalizar isso, mas não é possível”, disse Rosângela.
Já em um posto de saúde do bairro de Brotas, uma mulher comentou que, além de não conseguir fazer pelo celular, não conseguia fazer de forma física após a queda do sistema.
“Eu cheguei umas 8h30 e a fila não anda. O sistema cai. Tentei pelo celular, mas o sistema está inoperante. Eles só informaram que o sistema caiu e não tem previsão para retorno”, falou.
Uma outra mulher, que estava com um bebê de colo, também passou pela mesma situação. Ela chegou ao local pela manhã e, por volta das 12h40, não tinha sido atendida.
“Eu cheguei desde 8h. Só falavam que o sistema está caindo. A gente não foi avisado sobre o recadastramento, fomos pegos de surpresa”, falou.
Confira mais notícias do estado no G1 Bahia.