Grupo manifesta através de caminhada. Previsão é que eles sigam até a Rótula do Abacaxi. protesto dos rodoviários intermunicipais começou no fim da manhã desta segunda
Cid Vaz/G1 Bahia
Um grupo de rodoviários do transporte intermunicipal iniciou uma passeata, no fim da manhã desta segunda-feira (20), em Salvador. Eles dizem que estão há quatro meses sem trabalhar por causa do decreto do governo da Bahia que proíbe a circulação dos veículos por causa da pandemia da Covid-19. Por volta das 11h10, os manifestantes saíram da região da rodoviária, com destino à Rótula do Abacaxi.
Segundo a Transalvador, o trânsito estava lento na região, já que a caminhada ocupa duas faixas. Não há previsão para que ato termine.
O decreto que proíbe a circulação do transporte intermunicipal começou a valer em março. Desde então, várias cidades são incluídas na lista. A cada inclusão, mais locais não podem receber o transporte por ônibus, por exemplo.
Categoria realiza manifestação em Salvador
Cid Vaz/TV Bahia
Até o sábado (18), 380 cidades estavam com o transporte intermunicipal suspenso. Os rodoviários temem que essa situação se prolongue. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Intermunicipal no Estado da Bahia (Sindinter), disse que a categoria não aguenta mais.
“Nós já estamos com o numero de demissões dos trabalhadores. Os trabalhadores estão passando necessidade e não aguentamos mais”, contou.
Ele disse que negociou com o governo, mas que ainda nada foi a frente.
“Já são mais de quatro meses que os trabalhadores intermunicipais estão parados. Todos os ônibus na garagem, não estão rodando. E nós da direção do sindicato já fizemos várias tentativas de negociação com o governador, com o secretário e não tivemos êxito. As empresas apresentaram uma pauta com todos os protocolos de segurança, propondo até o distanciamento dos passageiros dentro dos ônibus. Em um ônibus de 40 só viajaria 20. Cumprir com todos protocolos, álcool em gel e máscara”, pontuou.
Polícia Militar acompanha a passeata
Cid Vaz/TV Bahia
Confira mais informações do estado no G1 Bahia.