63% da população da cidade tem 60 anos ou mais, faixa etária que é fator de risco para a Covid-19. Serviço será prestado por 3 meses em drive-thru mediante agendamento pela internet. A prefeitura de São Caetano do Sul, no ABC paulista, começou nesta segunda-feira (22) uma testagem em massa dos idosos para o coronavírus. O serviço é prestado em esquema drive-thru mediante agendamento, que é feito exclusivamente pela internet.
No município, cerca de 9 mil moradores têm mais de 60 anos. O número representa 63% da população de São Caetano, índice de idosos acima da média estadual, que é de 15%.
Por este motivo e por esta faixa etária ser fator de risco para a Covid-19, todos os moradores da cidade entre 60 e 65 anos terão três semanas a partir desta segunda-feira para realizar o teste do coronavírus. A segunda etapa da testagem vai tratar das demais faixas etárias.
“Com essa testagem a gente busca o positivo assintomático. A gente vai orientar a um isolamento dele em seu próprio domicílio e também de todas as pessoas com quem ele tenha contato”, explicou Regina Maura Zetone, secretária municipal da saúde de São Caetano do Sul.
Os testes são feitos no esquema drive-thru, sem necessidade de sair do carro, mas o atendimento é só para quem têm horário marcado. Para fazer a testagem o primeiro passo é entrar no site criado pela prefeitura.
Logo na página inicial, o morador deve descer a barra de rolagem e clicar no botão verde “agendamento testagem idosos”. Em seguida, basta preencher o formulário, escolher data e hora da testagem e salvar. Esta é a única maneira de agendar o teste.
Nesta segunda-feira foram mais de 400 testes; 23 deram positivo para a Covid-19. Para o infectologista Ralcyon Teixeira, do Instituto Emílio Ribas, os resultados da testagem de idosos podem ajudar no controle da ocupação de leitos.
“Os idosos são uma população que têm maior risco de complicações, então demandam muito mais do sistema de saúde, que pode ter sua capacidade esgotada se essa população ficar doente muito rápido ou de uma vez. Então, entender a dinâmica da infecção, como ela acontece, como ela está se disseminando em diversas faixas etárias e nessa faixa, que tem o maior risco, é importante”, afirmou.