Segundo informações da ABIH, antes da pandemia, a estimativa era de que 15,5 milhões de visitantes viajassem pela Bahia durante o ano. Covid-19: confira medidas adotadas para a volta do funcionamento de hotéis na Bahia
O setor de turismo na Bahia, que envolve hotéis, agencias de viagem, restaurantes e serviços, já acumulou perdas de mais de R$ 4 bilhões, por causa da pandemia do novo coronavírus. A informação foi divulgada pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH).
Porto Seguro adia retorno das atividades do turismo
Segundo informações da ABIH, antes da pandemia, a estimativa era de que 15,5 milhões de visitantes viajassem pela Bahia durante o ano. Em julho deste ano, 95% dos hotéis no estado estão fechados.
Em Salvador, os hotéis não estão proibidos de funcionar, mas estão vazios. Os estabelecimentos que interromperam as atividades e pensam em voltar a receber clientes, vão ter que fazer adaptações. Os protocolos de segurança e higiene foram criados pelas entidades da área e passaram a fazer parte da rotina de muitos estabelecimentos.
Disponibilizar álcool 70% para funcionários e clientes;
Estabelecer distância de pelo menos 1,5 m entre as pessoas;
Medir a temperatura dos clientes;
Recomendar o uso de máscaras aos hóspedes e clientes;
Higienizar sempre após cada uso, pontos e superfícies de contato como botões de elevadores, maçanetas, corrimãos e telefones;
Nos restaurantes e bares do hotel, reserva de horários e distância mínima de duas metros entre as mesas;
Academias de ginástica, saunas e espaços de descanso devem ser usados por hora marcada;
Se adoecer durante a hospedagem, o hóspede doente não deve sair do quarto ou apartamento;
“Tudo isso são formas e medidas de a gente dar segurança aos nossos hóspedes, aos nossos colaboradores e sobretudo essa junção de protocolos vai tonar o destino Bahia muito mais seguro, logicamente atraente, para aquele cliente que vem de fora”, explicou o presidente da ABIH, Luciano Lopes.
Hotel Fasano Salvador, na Praça Castro Alves
Alan Oliveira/G1
O hotel Wish, em Salvador, fez uma parceria com o Hospital Sírio Libanês, em São Paulo para atestar as novas medidas de segurança. O estabelecimento deve reabrir em outubro.
“A gente tem sentido que as vendas dos nossos hotéis do Nordeste, principalmente da Bahia, estão muito focadas no 4° trimestre, por causa dessa decisão, mas em outubro, a gente acredita que já deve haver uma ocupação acima de 40%”, disse o CEO da GPS Hotels e Resorts, Fabio Coutinho.
Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.