Em coletiva nesta segunda-feira (31), a cientista-chefe da OMS Soumya Swaminathan falou sobre as vacinas de emergência. O diretor-geral da organização alertou que a pandemia não terminou. A cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS) Soumya Swaminathan participa de uma entrevista coletiva em Genebra
Fabrice Coffrini/Pool/Reuters
A cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde Soumya Swaminathan disse nesta segunda (31) que a organização está trabalhando com os especialistas para criar critérios de aprovação da vacina de Covid-19. Os critérios são para considerar uma vacina segura e eficaz.
Rússia anuncia primeiro lote de vacinas da Covid-19 para setembro
A imensa logística por trás da futura vacina contra Covid-19
Crianças sem sintomas podem carregar coronavírus por semanas
“Não queremos uma vacina com eficácia inferior a 30%. A aprovação prematura de uma vacina tornará os estudos difíceis e a liberação de uma vacina que não foi estudada adequadamente pode ter baixa eficácia, não funcionar ou ter um perfil de segurança inaceitável”, disse a cientista-chefe.
Sobre o uso de emergência das vacinas, a cientista-chefe disse que essa decisão precisa ser tomada com muita cautela e reflexão. “Temos um documento que apresenta passo a passo sobre a homologação da vacina.”
VACINAS: Conheça as candidatas à vacina para a Covid-19
Embora todos os países tenham o direito de aprovar medicamentos sem um teste completo, a cientista-chefe disse que “não é algo que você faça levianamente”.
A pandemia não acabou
O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou que a pandemia ainda não acabou. “A realidade é que esse vírus se espalha facilmente. Abertura sem controle é uma receita para o desastre.”
“Queremos ver crianças voltando às aulas e pessoas voltando ao local de trabalho. Mas queremos que isso aconteça de maneira segura. Nenhum país pode achar que a pandemia terminou. O coronavírus se dissemina rapidamente e todos estão suscetíveis”, disse Tedros.
“Esse vírus se multiplica quando estamos divididos. Quando unidos podemos ganhar”, disse Tedros Adhanom Ghebreyesus
Jornal Nacional
O diretor-geral relembrou que são quatro os elementos essenciais para que o país possa reabrir:
Evitar eventos de amplificação. A Covid-19 se dissemina eficientemente em grupos de pessoas. Países que ainda estão com muita transmissão precisam postegar esses encontros e transmissões.
Reduzir as mortes protegendo os grupos vulneráveis.
Os indivíduos precisam assumir as suas responsabilidades, conhecendo as medidas para se proteger e proteger os outros.
Os governos precisam encontrar soluções para isolar os casos. Testar, isolar e quarentenar.
“Esse vírus se multiplica quando estamos divididos. Quando unidos podemos ganhar” – Tedros Adhanom Ghebreyesus
Initial plugin text